Ministério Público alemão pede extradição de Puigdemont por rebelião

  • ECO
  • 22 Maio 2018

Os magistrados alemães pretendem que o independentista catalão Puigdemont, que se encontra atualmente a viver em Berlim, seja extraditado para Espanha onde será julgado por rebelião.

O Ministério Público alemão de Schleswig-Holstein pede que Carles Puigdemont, líder independentista que pediu o referendo considerado ilegal à separação da Catalunha, seja extraditado para Espanha, escreve esta terça-feira o El País. A decisão tem ainda de ser confirmada por um tribunal superior regional, e Puigdemont deverá esperar essa decisão em liberdade, visto que o tribunal não considerou que exista perigo de fuga.

Se for extraditado, Puigdemont será julgado em Espanha por rebelião contra o Estado ao ter convocado e apoiado o referendo que foi considerado inconstitucional.

Carles Puigdemont tinha sido detido a 25 de março pela polícia alemã quando entrou na Alemanha vindo da Dinamarca, mas acabou por ser libertado a 6 de abril, quando o tribunal local concluiu que, apesar dos pedidos de Espanha, não poderia ser extraditado. No entanto, o Ministério Público considerou agora que, tendo em contra novas informações que as autoridades espanholas forneceram, a extradição já é possível.

Entretanto, na Catalunha, o governo central de Rajoy não quer permitir que o independentista Joaquim Torra forme um governo regional, alegando que a sua proposta é uma “provocação” por incluir, como nomes para ministros, quatro políticos ligados ao movimento da independência catalã, dois dos quais estão detidos, e outros dois exilados em Bruxelas.

Comentários ({{ total }})

Ministério Público alemão pede extradição de Puigdemont por rebelião

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião