João Galamba vai deixar de ser porta-voz do PS

  • ECO
  • 25 Maio 2018

Maria Antónia Almeida Santos, que já integrava a comissão permanente do partido, será a nova porta-voz dos socialistas, enquanto Ana Catarina Mendonça Mendes se mantém como a secretária-geral adjunta.

João Galamba vai deixar de ser porta-voz do PS e de integrar a comissão permanente do partido, avança o Público (acesso condicionado). Maria Antónia Almeida Santos, que já integrava a comissão permanente do partido, será a nova porta-voz dos socialistas, enquanto Ana Catarina Mendonça Mendes se mantém como a secretária-geral adjunta. A eleição da nova comissão permanente terá lugar na primeira reunião da comissão nacional após o 22.º Congresso do PS, que está a decorrer na Batalha até domingo.

Maria Antónia Almeida Santos é deputada e atual vice-presidente da Comissão Parlamentar de Saúde. Era já membro do secretariado nacional do PS, bem como membro da comissão permanente do partido.

O mesmo jornal adianta que o secretariado do PS passará a ter oito membros do Governo, para reforçar a capacidade de combate político no próximo ano, que será de eleições. Ana Mendes Godinho, Alexandra Leitão, Eurico Brilhante Dias, Graça Fonseca, Marcos Perestrelo, Mariana Vieira da Silva, Pedro Marques e Pedro Nuno Santos são os governantes que vão integrar este órgão.

O secretariado conta ainda com o presidente do partido, Carlos César, a secretária-geral adjunta, Ana Catarina Mendes, os membros da comissão permanente, o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, Eduardo Vítor Rodrigues, Isilda Gomes, João Galamba, José Manuel Mesquita, Maria do Céu Albuquerque e Porfírio Silva.

Haverá também uma estreia na comissão permanente do PS: Rui Pena Pires ficará com o pelouro da formação política. Este órgão será ainda composto por Francisco André, com o pelouro das relações internacionais, Susana Ramos, com o trabalho, Luís Patrão, com a administração e as finanças, Maria da Luz Rosinha, com as autarquias, e Hugo Pires, com a organização.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

João Galamba vai deixar de ser porta-voz do PS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião