Uma nova aplicação e pacotes especiais de roaming… os apoios da Altice ao Mundial 2018

A operadora investe cerca de cinco milhões de euros em patrocínios desportivos, adiantou. Renovou por mais sete anos o contrato com a Federação Portuguesa de Futebol.

Nesta febre do Mundial, a Altice Portugal decidiu apostar numa tática pensada ao pormenor. Como forma de apoio ao Mundial 2018, a operadora lançou uma nova aplicação para os clientes Meo, acedida através da televisão, com um conjunto de informações e até jogos dedicados a este campeonato. Outras das novidades são uma nova campanha publicitária e ainda pacotes de roaming especiais para esta época.

“Juntando a componente da emoção com o desporto e a paixão pelo futebol, o momento do Mundial é ideal para novas apostas”, disse Alexandre Fonseca, esta terça-feira, durante um encontro com jornalistas. O presidente executivo da Altice Portugal revelou que, em patrocínios desportivos, excluindo o futebol profissional, a marca investe cerca de cinco milhões de euros por ano, adiantando também a renovação por mais sete anos do contrato com a Federação Portuguesa de Futebol.

Alexandre Fonseca, presidente executivo da Altice PortugalPaula Nunes/ECO

Em época de Mundial, a Altice Portugal traz novidades: uma nova funcionalidade disponível apenas para clientes Meo. “Desenvolvemos uma aplicação para que os nossos clientes possam acompanhar os momentos de todos os jogos, com uma experiência diferenciada“, disse João Epifânio, chief sales officer. “Num lance de dúvida de vídeo-árbitro, por exemplo, o cliente não tem de andar para trás e para a frente, porque pode visualizar uma timeline que permite focar nos elementos mais importantes de cada jogo”, explicou.

A aplicação, acessível através do botão azul do comando e navegável através do mesmo, disponibiliza ao utilizador um conjunto de informações, tais como dados sobre jogos, estádios, jogadores, a história do futebol — através de filmes –, e ainda um quiz sobre este desporto, que “permite ter um jogo de família interessante para os intervalos”. Como disse João Epifânio, é uma “aplicação muito simples, muito fácil de usar“.

Mas, para os clientes Meo há ainda mais surpresas: a marca criou pacotes de roaming especiais para este período — pacotes Mundo –, nos quais constam 25 destinos, incluindo a Rússia, onde podem ser feitas chamadas e enviadas fotografias a preços especiais. “Para que possam estar na Rússia a celebrar, e possam mandar fotos às suas famílias sem estarem preocupados com os custos”, explicou. Os preços vão dos 34,90 aos 40 euros.

João Epifânio, chief sales officer da Altice PortugalPaula Nunes/ECO

Outra das novidades trazidas pela marca é a campanha publicitária “Sonhar é humano”, que será lançada esta terça-feira. No anúncio, pode ver-se Cristiano Ronaldo, Ricardo Quaresma e William de Carvalho uns anos mais velhos, num estádio de futebol, a recordar os anos em que jogaram pela Seleção Nacional.

Para além disso, a marca vai criar dois auditórios especiais para assistir aos jogos: um no Fórum Picoas e outro no edifício da empresa no Porto, na Tenente Valadim. Serão uma espécie de “mini-estádios”, aos quais os portugueses se vão poder dirigir para assistir aos jogos. Os espaços são limitados, com capacidade para cerca de 200 pessoas, onde marcarão presença nomes de várias áreas importantes da sociedade, disse o presidente.

Alexandre Fonseca, presidente da Altice PortugalPaula Nunes/ECO

Por último, Alexandre Fonseca revelou que, em parceria com a Federação Portuguesa de Futebol, a Altice Portugal vai estar em Sochi, na Rússia, para “mostrar o apoio à seleção”. “Vamos ter uma embaixada ao lado da Seleção e da equipa, para juntar a comunidade portuguesa residente e manifestar todo o nosso apoio. Os nossos órgãos de soberania também demonstraram essa vontade e estes são os tipos de relação de proximidade que queremos criar“, disse o presidente da operadora, adiantando que irá levar consigo Frederico Morais, também conhecido por Kikas, o embaixador do surf nacional.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Uma nova aplicação e pacotes especiais de roaming… os apoios da Altice ao Mundial 2018

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião