Lisboa segue Europa. Papeleiras puxam pela bolsa

A bolsa nacional seguiu os ganhos das restantes praças europeias. Beneficiou da recuperação das papeleiras que compensaram as quedas dos "pesos pesados".

Foi uma sessão de ganhos em todas as praças europeias. E a bolsa nacional, apesar de ser feriado em Lisboa, acabou por acompanhar a tendência num dia em que as papeleiras se destacaram. Registaram ganhos de 1%, compensando a queda dos títulos mais representativos do mercado de capitais português.

Enquanto o Stoxx 600 encerrou com um ganho de 0,25%, o PSI-20 conseguiu apresentar uma valorização mais expressiva. O índice de referência português somou 0,36% para encerrar nos 5.683 pontos.

Altri, Navigator e também a Semapa destacam-se nos ganhos, registando subidas de 1,61%, 0,93% e 1,04%, respetivamente. Retomaram, assim, a tendência de subida das últimas semanas, animadas pela consolidação no setor.

A maior subida coube à Ibersol, que ganhou quase 2%, numa sessão em que entre os “pesos pesados” apenas a Jerónimo Martins apresentou uma variação positiva.

Do lado das quedas, e a impedir uma subida mais expressiva da bolsa estiveram a EDP, EDP Renováveis e Galp Energia. A petrolífera perdeu mais de 0,5%.

Nota negativa também para o BCP que cedeu 0,18 para 27,40 cêntimos, assim como para os CTT que encerraram a negociação com uma desvalorização de 0,34% depois de terem disparado mais de 4% na sessão anterior.

(Notícia atualizada às 16h50 com mais informação)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lisboa segue Europa. Papeleiras puxam pela bolsa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião