Rolls-Royce vai cortar 4.600 empregos, para poupar 454 milhões por ano até 2020

A multinacional britânica pretende poupar 400 milhões de libras por ano, sendo que os cortes acontecerão maioritariamente no Reino Unido.

A multinacional britânica vai cortar 4.600 postos de trabalho, numa tentativa de poupar 400 milhões de libras anuais até 2020, de acordo com a Reuters (conteúdo em inglês). Esta medida faz parte de um plano de simplificação de negócio da autoria do CEO, Warren East, que tem realizado várias alterações na empresa nos últimos anos.

O anúncio de despedimentos surge numa altura complicada para a Rolls-Royce, depois de vários problemas em alguns motores de aviões, que terão deixado os clientes insatisfeitos. Warren East, CEO há três anos, tem tentado revitalizar a empresa e aumentar os lucros. O seu plano passa por cortes nos postos de trabalho, defendidos como necessários para alcançar tais lucros.

De acordo com o CEO, isto vai permitir à multinacional britânica economizar 400 milhões de libras (cerca de 454 milhões de euros) por ano até ao final de 2020. Contudo, estas rescisões também têm um custo — cerca de 500 milhões de libras (567,7 milhões de euros), durante os três anos em que vão ocorrer os despedimentos.

Estas mudanças vão permitir, a médio e longo prazo, um nível de cash flow muito além da nossa perspetiva de curto prazo, de mil milhões de libras em 2020“, disse o CEO em comunicado, esta quinta-feira. A Rolls-Royce adiantou que os cortes de emprego serão maioritariamente no Reino Unido, onde está localizada a maioria das suas funções corporativas e de suporte.

A empresa tem 55.000 funcionários espalhados por todo o mundo, dos quais 26.000 estão localizados no Reino Unido.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Rolls-Royce vai cortar 4.600 empregos, para poupar 454 milhões por ano até 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião