Alemanha e França querem orçamento comum e fundo de resgate mais próximo do FMI

  • Lusa
  • 19 Junho 2018

Macron defende que o orçamento comum poderia estar pronto a partir de 2021, e Merkel fala num fundo de resgate que vá na direção do FMI.

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, Emmanuel Macron, defenderam esta terça-feira uma reforma da zona euro que passe por um orçamento comum e a reconversão do fundo de resgate numa versão europeia do FMI.

“Vamos empenhar-nos num orçamento do euro”, disse Merkel numa conferência de imprensa em Meseberg, a norte de Berlim, com Macron, que defende há muito tempo a criação de um orçamento que seja um instrumento de solidariedade e de estabilidade para os 19 membros da zona euro.

Um tal orçamento poderia ser concretizado a partir de 2021, precisou o presidente francês. O orçamento para o euro será “paralelo” ao quadro financeiro plurianual da União Europeia e terá por objetivo “a convergência” entre os países.

Quando ao fundo de resgate – Mecanismo Europeu de Estabilidade –, disse Merkel, deverá servir para dotar a zona euro de um “instrumento extra” para melhorar “a estabilidade” e enfrentar “problemas de liquidez”. O mecanismo evoluirá, portanto, “na direção do FMI”, o Fundo Monetário Internacional.

Merkel e Macron reuniram-se esta terça-feira para conciliar posições com vista à cimeira europeia da próxima semana.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Alemanha e França querem orçamento comum e fundo de resgate mais próximo do FMI

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião