Já só há 16 seleções no Mundial. Portugal diz presente, Alemanha caiu com estrondo

  • ECO
  • 29 Junho 2018

Terminou a fase de grupos do mundial. De 32, sobram 16 seleções, entre elas a portuguesa a quem caberá o pontapé de saída dos oitavos de final.

Começaram 32, mas já só há 16 seleções no Mundial da Rússia. A fase de grupos trouxe poucas surpresas quanto aos favoritos, com Brasil, Argentina, Espanha a Portugal a passarem para a fase a eliminar onde já não há equipas africanas. Mas também não há Alemanha, a campeã em título, que caiu com estrondo depois da derrota com a Coreia do Sul.

Além dos germânicos, pelo caminho ficaram também Arábia Saudita, Egito, Irão, Marrocos, Austrália, Peru, Islândia, Nigéria, Costa Rica, Coreia do Sul, Tunísia, Panamá, Polónia, Alemanha, Sérvia e o Senegal, seleção que fez história ao ser a primeira eliminada através das regras do fair play. Ficou para trás por causa dos cartões amarelos.

Entre os 16 apurados, além de Brasil, Argentina, Espanha e Portugal, estão também França, Dinamarca, Croácia, Suíça, Suécia, México, Bélgica, Inglaterra, Rússia, a anfitriã, mas também o Uruguai, o próximo adversário da seleção das quinas.

Portugal, que empatou o primeiro e o último jogo, vencendo apenas Marrocos, vai agora dar o pontapé de saída nos jogos dos oitavos de final da competição, este sábado. Enfrentará a equipa de Suárez, que fechou a fase de grupos só com vitórias. Marcou cinco golos e não sofreu nenhum.

Veja os jogos que se seguem:

Uruguai – Portugal (30 de junho, em Sóchi)

França – Argentina (30 de junho, em Kazan)

Espanha – Rússia (1 de julho, em Moscovo)

Croácia – Dinamarca (1 de julho, em Níjni Novgorod)

Brasil – México (2 de julho, em Samara)

Bélgica – Japão (2 de julho, em Rostov do Don)

Suécia – Suíça (3 de julho, em São Petersburgo)

Colômbia – Inglaterra (3 de julho, em Moscovo)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Já só há 16 seleções no Mundial. Portugal diz presente, Alemanha caiu com estrondo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião