Costa diz que “geringonça está no coração dos portugueses” mas PS é “chave do sucesso”

Primeiro-ministro diz "ter certeza" que vai ser possível aprovar OE2019, por acreditar que parceiros não vão deitar tudo a perder. António Costa insiste que Bloco Central "empobrece" alternativas.

O primeiro-ministro disse esta terça-feira que a solução governativa atual continua válida e voltou a afastar a ideia de um Bloco Central. No encerramento das jornadas parlamentares do PS, o líder do partido afirmou que a “geringonça está no coração dos portugueses”, mas que o PS é “chave do sucesso” desta solução governativa. O chefe do Governo disse ainda acreditar que será “possível” aprovar o Orçamento do Estado para 2019 (OE2019).

Falando para os partidos à direita do PS, Costa afirmou que “a verdade, e o que lhes dói, é que a geringonça demonstra não só que funciona como é um garante de confiança e está no coração dos portugueses”. “Para estes resultados terem sido alcançados todos os parceiros têm sido muito importantes”, reconheceu, acrescentando, porém que o PS tem tido um papel mas relevante. “Todos somos importantes, mas o PS é essencial para que a geringonça exista. Só o PS garante o equilíbrio que tem sido a chave do sucesso desta governação.”

Costa lembrou que continua a pensar que o caminho deve continuar a ser feito com estes parceiros e recusou a ideia de Bloco Central. “Queremos continuar este caminho com a companhia que temos porque nos sentimos bem acompanhados“, disse perante os deputados socialistas que estiveram reunidos em Beja durante dois dias. “As soluções de Bloco Central empobrecem as soluções de alternativas“, afirmou, frisando que sempre pensou desta forma que voltou agora a sentir necessidade de repetir as ideias que defende.

Com o aproximar das eleições legislativas – marcadas para Setembro/Outubro de 2019 – e a entrada em cena do novo líder do PSD, Rui Rio, que entretanto assinou dois acordos com o Governo (sobre fundos comunitários e descentralização), os partidos que apoiam o Governo no Parlamento começaram a mostrar algum descontentamento. A isto somou-se o facto de o Executivo manter uma trajetória de consolidação orçamental, sem cedências às pretensões atuais do Bloco, PCP e Verdes.

Com o Orçamento do Estado para 2019 à porta, começam a surgir avisos por parte de alguns responsáveis do PS. Mas Costa optou por um tom mais conciliador. “Não vi até agora nenhum Orçamento que tenha sido fácil mas também não vi nenhum que tenha sido impossível. Tenho a certeza que este OE também há-de ser possível“. “Não acredito que o PEV, o PCP ou o Bloco de Esquerda queiram pôr em causa aquilo que tem sido o sucesso desta solução governativa”.

“Já provámos que é possível governar bem com esta solução governativa. Porque é que iríamos pôr agora em causa, no último ano da legislatura, aquilo que já provámos em três Orçamentos sucessivos que é possível”.

O líder do PS disse ainda que “o mundo não acaba com esta legislatura. E que é preciso que todos provemos bem esta solução nesta legislatura para todos mereçamos continuidade na próxima legislatura“.

António Costa avisou, porém, que apesar de querer apostar na continuidade desta solução governativa, isso não quer dizer que não procure entendimentos alargados e lembrou que essa pretensão faz parte do programa eleitoral do PS e do programa do Governo.

“Temos de ter até ao final desta legislatura o conjunto dos investimentos estratégicos definidos e aprovados”, disse Costa, uma matéria em que quer o apoio de dois terços do Parlamento.

Além disso, o primeiro-ministro defendeu a proposta que saiu da concertação social sobre as mudanças na lei laboral. Lembrou que sempre esteve no Programa de Governo a ideia de valorizar a concertação social e recusou que o alargamento do período experimental aumente a precariedade.

(Notícia atualizada)

 

 

 

Comentários ({{ total }})

Costa diz que “geringonça está no coração dos portugueses” mas PS é “chave do sucesso”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião