Petróleo supera os 75 dólares em Nova Iorque. Está em máximos de 2014

Dois portos estratégicos da Líbia cortaram as exportações em 850 mil barris por dia, levando o petróleo a negociar em máximos de três anos e meio.

O petróleo está a negociar em máximos de três anos e meio esta terça-feira, numa altura em que os investidores reagem à quebra na produção da matéria-prima. A contribuir para este movimento está, sobretudo, um corte significativo das exportações por parte da Líbia, mas também há estimativas de novas quebras nos Estados Unidos.

O West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, está a cotar nos 73,60 dólares por barril. Mas, esta tarde, chegou a tocar nos 75,27 dólares, o valor mais elevado desde novembro de 2014.

Petróleo acima dos 75 dólares em Nova Iorque

Também o Brent, negociado em Londres, está a acompanhar este movimento, a cotar nos 77,75 dólares por barril. Nesta sessão, já chegou a tocar nos 78,55 dólares, que também é o valor mais elevado desde novembro de 2014.

A justificar estas valorizações está o anúncio feito pela Corporação Nacional do Petróleo da Líbia, de que dois portos estratégicos do país cortaram as exportações em 850 mil barris por dia.

Ao mesmo tempo, a produção nos Estados Unidos tem vindo a cair há quase um mês. Os analistas consultados pela Reuters antecipam que os stocks norte-americanos tenham caído pela quarta semana consecutiva, em cerca de 3,3 milhões de barris, na semana terminada a 29 de junho.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Petróleo supera os 75 dólares em Nova Iorque. Está em máximos de 2014

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião