Não é só no relvado, Neymar também “cai” nos anúncios publicitários

  • Rita Frade
  • 6 Julho 2018

Em tom de brincadeira ou de uma forma mais séria, várias marcas recorrem às famosas "quedas" de Neymar para criar campanhas publicitárias. INEM e KFC são algumas delas.

O jogador da seleção brasileira, Neymar, é conhecido pelas suas quedas constantes durante os jogos de futebol. Só no Campeonato do Mundo de 2018, na Rússia, já passou cerca de 14 minutos deitado no chão, a pedir falta, segundo a estação televisiva RTS.

Ora, como nada escapa às marcas, algumas delas decidiram aproveitar o caricato da situação para criar campanhas publicitárias, onde fazem alusão às famosas quedas de Neymar.

A mais recente é a do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), que recorre a uma imagem do jogador para fazer um pequeno alerta aos cidadãos: de acordo com dados da Polícia de Segurança Pública, 75,8% das chamadas para o 112 também não são emergências“.

A KFC de África do Sul também lançou um anúncio — que entretanto se tornou viral –, onde se vê um jogador a cair no relvado e a rebolar estádio fora até um restaurante da cadeia de fast-food.

Contudo, a marca já veio negar a teoria de que o vídeo foi inspirado em Neymar. Ao site brasileiro Meio & Mensagem, a KFC disse, inclusive, que o anúncio tem simplesmente como “propósito celebrar o amor desse país [África do Sul] pelo desporto, de maneira leve e bem-humorada“.

Neymar e as suas “quedas” têm, ainda, sido alvo de vários memes e GIFs, que dia após dia se multiplicam nas redes sociais.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Não é só no relvado, Neymar também “cai” nos anúncios publicitários

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião