Portuguesa Kingpin Books finalista dos prémios Eisner de melhor livraria mundial de BD

  • Lusa
  • 19 Julho 2018

Pelo segundo ano consecutivo, a livraria e editora portuguesa Kingpin Books é finalista do prémio norte-americano Eisner de melhor livraria do mundo especializada em banda desenhada.

Pelo segundo ano consecutivo, a livraria e editora portuguesa Kingpin Books é finalista do prémio norte-americano Eisner de melhor livraria do mundo especializada em banda desenhada, anunciou a organização.

De acordo com a convenção norte-americana Comic Con, que decorre em San Diego, entre as cinco livrarias finalistas ao prémio Will Eisner Spirit of Comics Retailer 2018 está a Kingpin Books, em Lisboa.

Fundada há 19 anos pelo editor Mário Freitas, a Kingpin Books começou por ser uma livraria ‘online’ focada sobretudo na BD dos Estados Unidos. Em 2002 abriu uma loja física e, em 2008, iniciou atividade como editora de banda desenhada portuguesa e mais tarde estrangeira. Atualmente é uma das maiores lojas portuguesas dedicadas à BD e à cultura pop.

Da lista de cinco finalistas faz ainda parte a livraria irlandesa Big Bang Comics, fundada em 2011 em Dublin, e na qual trabalha o português Bruno Batista.

Lisboeta, Bruno Batista contou à agência Lusa que vive na República da Irlanda desde 2006 e que atualmente é coproprietário da livraria, que já esteve anteriormente nomeada para aquele prémio. Antes de emigrar para aquele país, Bruno Batista contou que chegou a trabalhar na Kingpin Books, em Lisboa.

As livrarias Cape and Cowl Comics (Estados Unidos), a Norma Comics (Espanha) e a Traveling Man (Reino Unido) são as restantes finalistas.

A livraria vencedora será conhecida na sexta-feira à noite, no âmbito dos prémios anuais Eisner, da indústria da banda desenhada, durante a Comic Con, a convenção norte-americana dedicada à cultura e entretenimento pop.

Os prémios foram batizados com o nome do autor e editor norte-americano de BD Will Eisner, que morreu em 2005.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portuguesa Kingpin Books finalista dos prémios Eisner de melhor livraria mundial de BD

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião