CMVM extingue OPA da Altice sobre a Media Capital

  • Lusa
  • 20 Julho 2018

Já que foi extinto o processo de compra, a CMVM anunciou hoje o fim do processo administrativo referente à Oferta Pública de Aquisição (OPA) da Meo, detida pela Altice, sobre a Media Capital

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) anunciou hoje a extinção do processo administrativo referente à Oferta Pública de Aquisição (OPA) da Meo, detida pela Altice, sobre a Media Capital devido “à extinção” do processo de compra. “O Conselho de Administração da CMVM deliberou indeferir o pedido de registo da referida OPA, extinguindo-se consequentemente o procedimento administrativo em curso”, informa aquela entidade em comunicado hoje divulgado.

A Meo, detida pela Altice, anunciou no ano passado uma oferta pública geral e obrigatória de aquisição constituída pela totalidade das 84.513.180 ações representativas do capital social da Media Capital admitidas à negociação no mercado regulamentado.

De acordo com a CMVM, a decisão hoje comunicada deveu-se à “extinção daquele processo” para a compra da Media Capital pela Altice, tendo também por base “a realização de um conjunto de diligências” pela CMVM “por forma a aferir as condições do seu encerramento, bem como a inexistência de elementos reveladores de exercício efetivo de controlo ou influência dominante por parte da oferente sobre a visada”.

A CMVM concluiu, assim, “pela impossibilidade definitiva de verificação de requisito legal de que dependia o deferimento do pedido de registo” da OPA.

No final de maio deste ano, a AdC informou que tinha rejeitado os compromissos apresentados pela Altice para a compra da Media Capital por entender que “não protegem os interesses dos consumidores, nem garantem a concorrência no mercado”. Reagindo ao anúncio, em 29 de maio, a Altice Portugal manifestou discordância perante a posição do regulador, afirmando não estar disponível “para apresentar quaisquer outros” compromissos.

Há cerca um mês, em 19 de junho, a AdC declarou extinto o procedimento relativo à operação de concentração que previa a aquisição pela Altice da Media Capital, após o pedido de desistência da empresa compradora.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CMVM extingue OPA da Altice sobre a Media Capital

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião