Ronaldo na Juventus esgota bilhetes de época em três dias

  • Lusa
  • 20 Julho 2018

Três dias após a apresentação de Cristiano Ronaldo na Juventus, o clube italiano já esgotou todos os 29.300 lugares cativos no AllianzStadium. 95% dos detentores renovaram os seus bilhetes de época.

A Juventus já vendeu todos os 29.300 lugares cativos no Allianz Stadium para os jogos caseiros da época 2018/19, três dias depois da apresentação do futebolista internacional português Cristiano Ronaldo, contratado ao Real Madrid. Em relação época passada, 95% dos detentores de bilhetes de época renovaram os mesmos e os lugares vagos acabaram esta quinta-feira, com a venda reservada aos sócios do clube de fãs oficial da Juventus.

“Os sócios e membros do fã clube oficial da Juventus foram os únicos que conseguiram os novos lugares disponíveis este ano. Assim, não haverá venda ao público”, explicou o clube vencedor dos últimos sete campeonatos italianos. Para cada encontro da época 2018/19, a Juventus colocará, no entanto, à venda cerca de 12.000 bilhetes para o público em cada encontro.

A euforia no clube de Turim é grande, sobretudo depois da contratação ao Real Madrid do internacional português Cristiano Ronaldo, que deixou os merengues, depois de nove anos, como melhor marcador da história do clube.

Nas últimas três épocas em Madrid, o capitão da seleção lusa ajudou o clube a vencer outras tantas edições da Liga dos Campeões, a obsessão da Juventus, recordista de finais perdidas, a sétima e última em 2017. Cristiano Ronaldo marcou, então, dois golos, contribuindo decisivamente para o triunfo do Real Madrid por 4-1 sobre o conjunto italiano, vencedor da prova em 1985 e 1996.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ronaldo na Juventus esgota bilhetes de época em três dias

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião