Espanhóis da Merlin compram centro comercial Almada Forum por 406,7 milhões

  • Lusa
  • 21 Julho 2018

Merlin Properties anunciou aquisição do centro comercial por mais de 400 milhões de euros à gestora norte-americana Blackstone. Receitas anuais do Almada Forum atingem 24 milhões em rendas.

O centro comercial Almada Forum foi vendido à espanhola Merlin Properties por 406,7 milhões de euros, segundo a página na Internet desta empresa, que tem feito várias aquisições em Portugal.

A intenção de a empresa espanhola comprar este shopping à norte-americana Blackstone (gestora de fundos imobiliários) já tinha sido noticiada no início do ano e esta informação indica que foi agora concretizada.

Segundo a Merlin Properties, o Almada Forum, inaugurado em 2002, tem uma superfície bruta arrendável de cerca de 82 mil metros quadrados, dos quais 22 mil metros são um supermercado Jumbo, da Auchan, que inclui 5.500 lugares de estacionamento. Tem ainda centenas lojas e cinemas NOS.

O Almada Forum é um importante centro comercial da margem sul do rio Tejo, junto a Lisboa, e, segundo a Merlin Properties, recebe cerca 14,4 milhões de visitantes por ano e está próximo da ocupação total, com 98% da área alugada.

As receitas anuais do shopping em rendas atingem 24 milhões de euros e a empresa vê possibilidade de crescimento.

Citado na informação disponível na Internet, o presidente executivo da Merlin Properties, Ismael Clemente, disse que o centro comercial é um ativo “excecional” e, apesar da concorrência com as vendas online, o formato dos centros comerciais continua a crescer na Península Ibérica.

A Merlin Properties já tem vindo a investir em Portugal, atraída pela rentabilidade do imobiliário. No ano passado comprou ao Novo Banco um edifício em Lisboa, no Marquês de Pombal, por 60,3 milhões de euros e já em abril deste ano adquiriu mais um edifício em Lisboa, na zona do Parque das Nações, por 33,3 milhões de euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Espanhóis da Merlin compram centro comercial Almada Forum por 406,7 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião