“I never dreamed”. Primeira gravação de Bowie é revelada passados 55 anos

  • ECO
  • 23 Julho 2018

"I never dreamed" é o nome da primeira música de David Bowie, que foi rejeitada em 1963 e encontrada há cerca de 30 anos numa cesta de pão. A cassete vai agora ser leiloada.

“I never dreamed”. Assim se chama a primeira música de David Bowie, que foi rejeitada pela gravadora Decca e encontrada há cerca de 30 anos numa cesta de pão. A cassete vai agora ser vendida em leilão, esperando atingir cerca de 11.000 euros.

A canção remonta à adolescência de Bowie, quando o artista tinha apenas 16 anos e ainda era conhecido como David Jones, o seu nome de nascimento. “I never dreamed” foi gravada em 1963 com a sua primeira banda, os The Konrads, mas nunca chegou a lançada, por ter levado o ‘não’ da Decca.

Meses mais tarde Bowie lançou-se a solo, mas foi só quando lançou o famoso Space Oddity que o seu sucesso descolou.

Segundo o The Independent, a descoberta foi feita por David Hadfield, ex-baterista desta banda, quando, na década de 90, se preparava para mudar de casa e deu com a cassete numa cesta de pão que pertencia ao avô, no sótão da sua garagem.

Nessa altura, Bowie era o saxofonista da banda, mas foi-lhe pedido que fosse ele a cantar. “Naquela altura, ele ainda estava focado em tornar-se um saxofonista de classe mundial, mas o nosso agente Eric Easton, que também gerenciou os Rolling Stones, pediu-nos para fazer uma demonstração com Bowie a cantar”, contou Hadfield. Foi assim que num pequeno estúdio em Morden a demo foi gravada. “O David e o Neville Wills (guitarrista) escreverem duas ou três músicas, mas esta foi a que eu escolhi por ser a mais forte”, conta o ex-baterista, quando a banda se decidiu a compor originais. Foi assim que “I never dreamed” se tornou a primeira canção de David Bowie, gravada há 55 anos.

Esta gravação faz parte do espólio de memórias de Hadfield e vai agora ser vendida num leilão, onde se espera que chegue aos 11.000 euros (10.000 libras).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“I never dreamed”. Primeira gravação de Bowie é revelada passados 55 anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião