Com Ronaldo, KPMG diz que a Juve tem equipa para faturar 500 milhões euros

  • ECO
  • 23 Julho 2018

Um estudo da KPMG diz que Juventus poderá aumentar faturação para 500 milhões de euros com a contratação de o melhor do Mundo. Efeito Ronaldo beneficia não só o clube, mas toda a liga italiana.

A Juventus deverá demorar dois a três anos para ter lucros com a transferência de Cristiano Ronaldo, na qual desembolsou 112 milhões de euros.

Um estudo da KPMG dá conta de que, apesar dos riscos, a operação tem tudo para ser lucrativa para o clube de Turin, podendo mesmo atingir uma faturação de 500 milhões de euros, reduzindo a diferença para as equipas mais ricas.

No relatório intitulado “From Madrid to Turín: Ronaldo Economics”, a consultora analisa os custos e benefícios da operação para os cofres da Juventus e o impacto para a própria liga italiana, designada de Série A.

A grande conclusão é que, para “justificar o investimento no craque português”, o clube transalpino precisa de “aumentar a receita nos próximos anos”.

A expectativa é de que, nas próximas duas ou três épocas, a Juventus provavelmente beneficie de um incremento da faturação, que poderá chegar a 500 milhões de euros, que compara com os 405 milhões atuais“, lê-se no documento.

A KPMG diz ainda que é pouco provável que o clube italiano assista a um grande impacto ainda esta época com a compra do melhor do mundo. Mas ter Cristiano Ronaldo implica não só aumentar a probabilidade de vencer de jogos como a dos direitos de televisão, patrocínios e até o número de adeptos.

A KPMG fez mesmo uma análise por todos estes capítulos para demonstrar como é que a Juventus vai suportar um custo salarial bruto anual de 55/56 milhões de euros, durante quatro exercícios, o correspondente a 21% da massa salarial do clube, e um impacto financeiro anual nas contas do clube de 85 milhões por ano.

CR7 dá mais receitas e maior rentabilidade

Apesar da grandeza destes números, a análise “sustenta que o investimento poderá proporcionar à Juve benefícios no âmbito desportivo, nos meios de comunicação, em termos de marca e económicos, que poderão suportar os custos relacionados“. Mais receitas, maior rentabilidade e, “em última instância, maior valor empresarial nos próximos exercícios, quando se espera que os principais clubes de futebol se convertam em verdadeiras empresas de entretenimento”.

Para a KPMG, a grande oportunidade reside exatamente nos receitas em marketing e patrocínios, uma vez que as entradas nos estádios estão limitadas à capacidade do recinto e os direitos televisivos, por acordos regulados.

De resto, os números dão conta disso mesmo, uma vez que Real Madrid, Manchester United ou Bayern têm retornos de cerca de 300 milhões de euros nestes itens, enquanto a Juventus, atualmente, não vai além dos 120 milhões.

“Aproveitando a oportunidade que oferece a chegada de Cristiano Ronaldo, a Juventus vai procurar cobrir parcialmente esta brecha nos próximas duas ou três temporadas”, assegura a KPMG que garante: “É realista pensar que agregará entre 75 e 100 milhões de euros adicionais“. A consultora diz ainda que isto poderá acontecer incrementando a carteira internacional dos patrocinadores em países onde o clube seja menos popular.

“Não há dúvida de que a transferência de Ronaldo brinda o clube com uma nova e melhor posição de negociação com os principais patrocinadores”.

De resto, é esperada um aumento nos preços dos bilhetes para assistir aos jogos da Juventus, devido ao esperado aumento de espetadores e sempre em função da posição na Liga dos Campeões, podendo mesmo chegar aos 70 milhões de euros que compara com os 45/50 milhões de euros alcançados na época anterior.

"Não há dúvida de que a transferência de Ronaldo brinda o clube com uma nova e melhor posição de negociação com os principais patrocinadores. ”

KPMG

Relativamente aos direitos televisivos, a KPMG projeta uma faturação, tanto dentro de Itália como a nível internacional, pelo valor de entre 190 e 255 milhões de euros, face aos 233 milhões da temporada anterior. Mas tudo isto está relacionado com o facto de se saber se a Juventus se sagra campeã pelo oitavo ano consecutivo em Itália, e do seu rendimento na Liga dos Campeões.

Online: efeito sem precedentes

Por último, o documento analisa as implicações no âmbito do online quer ao nível da Juventus, quer ao nível do impacto que a contratação do CR7 poderá ter em toda o futebol italiano…

A KPMG começa por dizer que a marca Cristiano Ronaldo “representa uma empresa em si mesmo e que graças ao alcance massivo dos meios, é conhecido em todo o mundo” e isso terá um efeito nas redes sociais do próprio clube “numa escala sem precedentes”.

O documento diz mesmo que esta é uma área em que a Juventus deverá fazer um grande esforço para aproveitar ao máximo o investimento em Cristiano Ronaldo. A visibilidade da marca CR7 leva a remunerações entre 350.000 e 500.000 euros por publicação no Instagram, tornando-o no atleta mais rentável do Mundo. Números, que diz a KPMG, são superáveis uma vez que Ronaldo tem ainda um importante potencial devido à possibilidade de elevar a exposição da marca Juventus em territórios como Brasil, Índia e Estados Unidos. “Se um jogador como Ronaldo se muda para um novo clube, arrasta com ele a sua base de seguidores já que, em certa medida, os fãs podem estar mais apegados às pessoas que aos clubes”.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Com Ronaldo, KPMG diz que a Juve tem equipa para faturar 500 milhões euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião