Apple dispara 6% e salva Nasdaq da pressão da Fed

Ações da Apple dispararam depois de ter apresentado o melhor trimestre de sempre em termos de resultados financeiros. Salvaram o índice Nasdaq, mas o dia foi de perdas para Wall Street.

Foi um mau dia para dois dos principais índices bolsistas em Wall Street, o S&P 500 e o Dow Jones, isto depois de a Fed ter deixado sinais de que poderá aumentar os juros mais duas vezes este ano. Já o índice Nasdaq escapou às perdas graças aos bons resultados da Apple, que animaram e contagiaram o setor tecnológico.

As ações da fabricante do famoso iPhone avançaram quase 6% para 201,5 dólares, deixando a Apple mais perto de ser a primeira companhia com um valor de mercado de um bilião de dólares. Esta terça-feira, a tecnológica reportou uma subida de 17% das receitas para os 53,3 mil milhões de dólares, naquele que foi o melhor trimestre de sempre.

Neste contexto, o índice tecnológico Nasdaq somou 0,56% para 7.272,65 pontos. Dentro do chamado grupo FAANG, que junta as principais empresas tecnológicas americanas, apenas o Facebook apresentou-se em baixa na sessão, recuando 0,54% para 171,65 dólares.

Em sentido contrário, o S&P 500 e o Dow Jones perderam 0,11% e 0,32%, respetivamente, com o apetite comprador dos investidores a ser travado pela Reserva Federal norte-americana. O banco central deixou os juros inalterados, como era esperado pelo mercado. Mas o crescimento económico sólido combinado com o aumento da inflação deverá obrigar a Fed a subir os juros por mais duas vezes este ano.

A atividade económica tem “avançado a um ritmo forte” e o desemprego tem estado num nível “baixo”, afirmou o comité de política monetária da Fed no final da reunião de dois dias, tendo decidido manter os juros num intervalo entre 1,75% e 2,00%.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Apple dispara 6% e salva Nasdaq da pressão da Fed

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião