S&P mantém rating de Angola em B-

  • Lusa
  • 11 Agosto 2018

“Prevemos que a dívida pública de Angola continue a subir em 2018, em grande parte como resultado da desvalorização do kwanza", diz a Fitch na sua análise.

A agência de notação financeira Standard & Poor’s (S&P) manteve o ‘rating’ de Angola em B-, continuando também a prever também uma perspetiva estável daquela economia, mas alerta para a desvalorização do kwanza.

Numa informação hoje divulgada pela S&P, à qual a Lusa teve acesso, aquela agência confirma a manutenção do rating de ‘B-/B, semelhante à avaliação feita há seis meses.

Prevemos que a dívida pública de Angola continue a subir em 2018, em grande parte como resultado da desvalorização do kwanza […] e da sua subsequente depreciação, mas também devido aos défices orçamentais”, explica aquela entidade.

Ao mesmo tempo, a S&P aponta que o preço do barril de Brent, que serve de referência ao petróleo, deverá ficar perto dos 60 dólares entre 2018 e 2021, o que “ajudará Angola a reduzir o seu défice a médio prazo”.

Na avaliação hoje divulgada, esta agência de notação financeira indica ainda que a perspetiva (o chamado outlook) se mantém estável.

Para justificar tal atribuição, a S&P alude às “reformas governamentais em curso que visam um maior crescimento económico e a redução da dívida orçamental” a partir do próximo ano.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

S&P mantém rating de Angola em B-

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião