Receitas de jogo online disparam. Lucros do Estoril-Sol crescem

  • Lusa
  • 30 Agosto 2018

No primeiro semestre do ano, as receitas do jogo representaram 108,4 milhões de euros. As do jogo online cresceram 75%.

O Estoril-Sol registou 10,1 milhões de euros de lucro no primeiro semestre, uma subida de 3% em comparação com igual período do ano anterior, foi comunicado esta quinta-feira ao mercado.

De acordo com o comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), no período em causa, o resultado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) fixou-se em 20,3 milhões de euros, uma subida de 1,5% em comparação com o período homólogo.

Nos primeiros seis meses do ano, as receitas do jogo representaram 108,4 milhões de euros, valor que compara com os 100,7 milhões de euros obtidos em igual semestre do ano anterior.

“O jogo físico apresentou uma taxa de crescimento de 2,5% e as receitas do jogo ‘online’ cresceram 75%”, explicou o grupo. Por sua vez, as receitas operacionais de restauração e animação apresentaram um crescimento de 3,3%, tendo totalizado 4,5 milhões de euros.

“O aumento dos custos operacionais do grupo em 6,9% reflete o investimento levado a cabo pelo grupo no sentido de dinamizar e aumentar a oferta de entretenimento, lazer e restauração nos casinos físicos por si explorados, mas principalmente o forte investimento em ‘marketing’ e publicidade levado a cabo pelo grupo durante o primeiro semestre de 2018”, lê-se no documento.

No primeiro semestre, o grupo efetuou investimentos no valor de um milhão de euros, o que compara com os 4,1 milhões de euros investidos no primeiro semestre de 2017.

“Num esforço concentrado de equilíbrio financeiro e menos dependência de terceiros, o grupo tem vindo a reduzir sucessivamente o seu passivo bancário, tendo dessa redução resultado uma diminuição significativa dos encargos financeiros suportados pelo grupo. No final de junho de 2018, o passivo bancário ascendia a 2,5 milhões de euros”, indicou.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Receitas de jogo online disparam. Lucros do Estoril-Sol crescem

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião