Compras online? Sim, para poupar… e quase sempre através dos sites das marcas

  • ECO
  • 14 Junho 2018

A grande maioria dos portugueses faz as suas compras online nos sites das marcas, e a partir de casa. Os preços baixos são a principal motivação para escolher os sites.

O comércio tradicional está a transformar-se com o aparecimento das compras online, que obrigam as lojas físicas a esforçar-se para atrair os clientes e modernizar-se. Em Portugal, as marcas ainda conseguem ter a sua quota-parte, já que, segundo o estudo Observador Cetelem eCommerce 2018, a grande maioria das pessoas compra nos sites das marcas.

São mais de 80% as pessoas que escolhem comprar no site da marca, versus 56% que vão a plataformas agregadoras, como eBay e Amazon. As páginas de classificados, como Custo Justo ou OLX, atingem 24% dos consumidores. A maior motivação para comprar online são os preços baixos, sendo que os sites fazem muitas vezes promoções e descontos.

Estes números mostram que os portugueses confiam na credibilidade das marcas, e no menor risco de fraude que traz uma página oficial. É como se fossem ver as montras mas no seu computador. O estudo mostra também que as pessoas fazem as compras a partir de casa, com 95% dos consumidores a preferir o conforto. O local de trabalho foi escolhido por um terço dos portugueses como cenário de compras.

As plataformas que não são dedicadas exclusivamente ao comércio também são utilizadas pelos consumidores, que lidam diretamente com o proprietários dos objetos. Uma das formas de fazê-lo é através das redes sociais, apesar de não ter ainda muita representatividade.

"Já não é preciso esperar pelo futuro. Ele está aí. Vem sob forma de novos desafios para todos. Para o comércio e retalho, cujos mecanismos de venda são cada vez mais arrojados e user friendly . E também para os consumidores, cujas alternativas e concorrência lhes permitem encontrar cada vez mais e melhores locais de compra online.”

Paul Milcent

CEO BNP Paribas Personal Finance

O perfil do cliente de comércio online tem entre 25 e 44 anos e integra a classe média alta. Nos últimos 12 meses, 25% dos portugueses realizaram compras online, revela o estudo. A população envelhecida do país, que na sua maioria não é utilizadora regular da internet, faz com que esta percentagem não seja mais alta.

O método mais utilizado pelos inquiridos para pagar as compras é a referência de Multibanco, seguida da opção por transferência bancária. Cerca de 35% dos consumidores utilizou o cartão de crédito para efetuar os seus pagamentos online, e o gasto em média no último ano foi de cerca de 651€, diz o estudo. Mesmo assim, 46% dos inquiridos não se recorda do valor gasto nas compras efetuadas.

Com experiências boas ou más, 96% dos inquiridos no estudo afirmaram que tencionam continuar a fazer compras online, uma tendência que parece que veio para ficar.

Comentários ({{ total }})

Compras online? Sim, para poupar… e quase sempre através dos sites das marcas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião