Rio ao ataque no jogo de futebol do PSD. Veste a camisola 7

A rentrée política do PSD arranca com um campeonato de futebol. Já há titulares para as equipas. O presidente do partido veste o número de Cristiano Ronaldo, mas na posição de médio ofensivo.

Depois de um mês afastado da vida política, Rui Rio entra em campo este sábado. E não é apenas no campo político. A rentrée do PSD marcada para este sábado começa com um campeonato de futebol, onde o líder joga pela equipa dos dirigentes nacionais. Numa altura em que está sob fortes críticas dentro do partido, Rio vai vestir a camisola n.º 7, o mesmo número que Cristiano Ronaldo usa em campo. Mas Rio não será avançado — o lugar que ocupará dentro das quatro linhas é de médio ofensivo.

A entrada no relvado acontece no Algarve, mas em moldes um pouco diferentes daqueles que caracterizam a tradicional Festa do Pontal do PSD. Este sábado, pelas 10 horas começa uma espécie de mini-campeonato de futebol de 7 com quatro equipas: a da direção nacional, a do Conselho Estratégico Nacional, a dos militantes do Algarve e a dos autarcas.

Fotomontagem de Lídia Leão

O presidente do partido integra a equipa dos dirigentes nacionais. Rui Rio joga com a camisola n.º 7 e na posição de médio ofensivo, disse ao ECO fonte oficial do partido. Na baliza joga Maló de Abreu, que é vogal da comissão política nacional e irmão do ex-guarda-redes da Académica de Coimbra Maló. José Silvano, Fernando Negrão, Nuno Morais Sarmento, Miguel Poiares Maduro, Carlos Moedas, Carlos Peixoto e Cláudia André são outros dos que alinham ao lado de Rio.

Pela equipa do Conselho Estratégico Nacional, o órgão que está a construir um programa que servirá de base ao programa eleitoral, entram em campo David Justino como guarda-redes, Lina Lopes (vice-presidente da mesa do Congresso) e Bruno Coimbra, entre outros.

Cristóvão Norte é um dos que fará parte da equipa do Algarve e Salvador Malheiro — um dos vices — joga pelos autarcas.

Depois das atividades desportivas, a festa segue com um almoço-convívio ao ar livre, em Querença, no concelho de Loulé. Pelas 16h30 começam os discursos políticos. Rio será o último a falar, depois de quatro dirigentes locais tomarem a palavra.

O regresso de Rui Rio ao palco político acontece numa altura em que as críticas internas sobem de tom e em que o seu adversário às eleições internas, Pedro Santana Lopes, prepara a saída do partido para fundar um novo, chamado Aliança. As divergências com a estratégia do presidente já levaram ao aparecimento de um potencial candidato à liderança do partido: Pedro Duarte fez o anúncio a 4 de agosto.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Rio ao ataque no jogo de futebol do PSD. Veste a camisola 7

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião