Mário Ferreira, um prémio e dois novos navios

Dono da Douro Azul foi distinguido pelo ministro da Economia pelo trabalho desenvolvido no turismo. Grupo promete, para 2019, mais dois navios para o Douro e novos projetos hoteleiros.

Duas décadas ligadas ao setor do turismo, detentor de um dos maiores operadores mundiais de cruzeiros, de vários hotéis, helicópteros e até de um museu, fazem de Mário Ferreira um dos nomes incontornáveis do turismo em Portugal.

Uma realidade reconhecida pelo Governo que, esta manhã, em Lisboa, galardoou Mário Ferreira com a Medalha de Mérito Turístico Grau Ouro. A cerimónia que foi presidida pelo ministro da Economia distingue o trabalho desenvolvido em prol do turismo português e de Portugal pelo empresário do norte.

“O reconhecimento do trabalho desenvolvido por Mário Ferreira ao longo de mais de duas décadas de carreira dedicadas ao turismo português reflete o sucesso alcançado pelas várias empresas que preside, entre as quais a Douro Azul, empresa líder de cruzeiros fluviais em Portugal e que já foi distinguida como a melhor empresa de cruzeiros fluviais da Europa por quatro vezes”, adianta em comunicado a Mystic Invest, empresa presidida pelo empresário.

“Quando há 25 anos iniciei a atividade em Portugal o meu objetivo era dar ao Douro, um dos mais belos locais no Mundo, o destaque turístico que merece”, adianta Mário Ferreira no mesmo comunicado. “O turismo nacional à época era focado no sol e praia e entendi que havia no Douro, no seu rio, na cultura e nas suas gentes e tradições, um destino de excelência”, acrescenta.

O empresário recorda que o início não foi fácil uma vez que “nem toda a gente acreditava que o Douro podia ser um destino de sucesso no turismo fluvial”. Hoje, prossegue Mário Ferreira “é um dos principais destinos para este tipo de cruzeiros e é um orgulho saber que desempenhamos um papel relevante nessa transformação”.

A Mystic Invest, holding financeira do grupo, conta com mais de 600 colaboradores e “cobre mais de dez mil quilómetros com projetos turísticos que ligam o Porto a Shangai”.

Para futuro, o empresário garante que em “2019 vamos alargar ainda mais a nossa atividade com o lançamento do nosso primeiro navio de cruzeiros de oceano, o World Explorer”.

Um projeto que está a ser construído em Viana do Castelo, e que está destino às águas da Antártica e do Ártico e a fazer a ligação entre Portugal e o Brasil.

Ainda para 2019, a empresa prevê apresentar dois novos navios para o Douro, bem como novos projetos de hotelaria no Porto e Douro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mário Ferreira, um prémio e dois novos navios

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião