CaetanoBus vai produzir autocarros movidos a hidrogénio

  • Lusa
  • 26 Setembro 2018

A CaetanoBus, especializada no fabrico de autocarros, vai ser a primeira companhia na Europa a produzir e comercializar autocarros movidos a hidrogénio com tecnologia Toyota.

A CaetanoBus, empresa do grupo Salvador Caetano especializada no fabrico de autocarros, vai ser a primeira companhia na Europa a produzir e comercializar autocarros movidos a hidrogénio com tecnologia Toyota, foi anunciado esta quarta-feira.

Em comunicado, a Toyota Caetano Portugal adianta que “os primeiros autocarros de pilha de combustível com zero emissões começarão a sair das linhas da CaetanoBus no final do próximo ano, com destino ao mercado europeu”.

Salientando ser “a primeira empresa na Europa a beneficiar da tecnologia líder de pilha de combustível da Toyota (FCEV)”, a CaetanoBus adianta que o ‘gigante’ japonês lhe irá fornecer “os seus sistemas de pilha de combustível, tanques de hidrogénio e outros componentes chave”.

“Com esta parceria a Toyota reforça o seu contributo para a criação de uma sociedade baseada no hidrogénio, promovendo a tecnologia de pilha de combustível aplicada a outros meios de transporte que não apenas os veículos ligeiros de passageiros”, destaca, considerando tratar-se de “mais um passo significativo no desenvolvimento de soluções para o transporte coletivo de passageiros com zero emissões”.

Citado no comunicado, o presidente executivo da Toyota Motor Europe, Johan van Zyl, afirma que o fornecimento dos sistemas de pilha de combustível à CaetanoBus “demonstra os muitos usos práticos e benefícios ambientais do hidrogénio para uma sociedade livre de carbono”.

“Estamos realmente animados com a perspetiva de ver os primeiros autocarros do nosso parceiro de longa data nas estradas europeias”, refere, explicando que “os autocarros a hidrogénio têm vantagens significativas em comparação com outros veículos de emissão zero, nomeadamente uma autonomia superior e um tempo de reabastecimento reduzido”, o que lhes permite “operar em rotas mais longas”, com “uma maior utilização”.

O presidente da Salvador Caetano Indústria, José Ramos, comentou, por sua vez, estar “muito orgulhoso” pelo facto de a empresa ser “a primeira na Europa a beneficiar da tecnologia líder de pilha de combustível da Toyota”, assegurando ser objetivo da companhia “demonstrar as capacidades de excelência” que detém no desenvolvimento e fabrico de autocarros.

“Acreditamos que o hidrogénio é uma ótima solução para os autocarros com zero emissões”, considerou José Ramos.

O lançamento oficial do denominado Projeto ‘Fuel Cell Bus’ aconteceu hoje, em Lisboa, na sequência da passagem pela cidade do ‘Energy Observer’, a primeira embarcação em todo o mundo movida a hidrogénio de forma autónoma, sem emissões de gases.

O desenvolvimento deste projeto representa a extensão à CaetanoBus da já longa relação entre a japonesa Toyota e a portuguesa Salvador Caetano, que produz veículos Toyota desde 1971 e é o representante exclusivo da marca em Portugal.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CaetanoBus vai produzir autocarros movidos a hidrogénio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião