BCE reduz para metade programa de compra de ativos a partir de hoje

  • Lusa
  • 1 Outubro 2018

O Banco Central Europeu (BCE) reduz a partir de hoje o ritmo do seu programa de compra de ativos, que passa para 15 mil milhões euros mensais, antes de terminar no fim do ano.

O Banco Central Europeu (BCE) reduz a partir de hoje o ritmo do seu programa de compra de ativos, que passa para 15 mil milhões euros mensais, antes de terminar no fim do ano. O programa alargado de compra de dívida do BCE foi anunciado no início de 2015 para impulsionar a economia e evitar a deflação na zona euro.

Inicialmente, abrangia apenas a compra de obrigações emitidas pelos Estados, mas em meados de 2016 passou a incluir também aquisições de dívida de empresas.

No fim de 2016 passou de 80 mil milhões de euros mensais de aquisições para 60 mil milhões e depois em janeiro passado foi reduzido para os 30 mil milhões, volume que se manteve até finais de setembro, mas o processo de redução progressiva dos estímulos vai continuar.

Agora, a partir de outubro, a compra de dívida pública e privada é reduzida para metade (15 mil milhões de euros), terminando no final de dezembro, caso os dados disponíveis confirmem as perspetivas de inflação a médio prazo, indicou em junho a instituição liderada por Mario Draghi.

No entanto, o BCE vai continuar ativo no mercado após o fim de 2018, renovando os títulos de dívida vencidos “durante um período prolongado após o termo das aquisições líquidas de ativos”, indicou a instituição.

O ‘stock’ de obrigações de Estado e de empresas, que deve estar próximo de 2,6 biliões de euros no fim dezembro, será mantido para evitar um ajustamento demasiado precoce das condições financeiras.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BCE reduz para metade programa de compra de ativos a partir de hoje

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião