Revista de imprensa internacional

A semana começa com as eleições no Brasil na ordem do dia. Depois de Bolsonaro ter tido a votação mais alta, especialistas alertam para exigência de "uma nova forma de convivência política".

A semana começa com as eleições presidenciais no Brasil na ordem do dia. Depois de Bolsonaro ter tido a votação mais elevada, os especialistas em política alertam para a necessidade de “uma nova forma de convivência política”. Também na ordem do dia, e a marcar o fim de semana passado, está o acidente com a limusina em Nova Iorque, que continua a ser investigado. Quem também continua em investigações é a China, que deteve o presidente da Interpol naquele país por alegada “grave violação da legislação estatal”.

Folha de São Paulo

Eleições no Brasil: “Realinhamento partidário vai exigir uma nova forma de convivência política”, dizem especialistas

No próximo dia 28 de outubro, o candidato de extrema-direita Jair Bolsonaro e Fernando Haddad do PT vão disputar a segunda volta, que vai determinar quem vai suceder a Michel Temer na presidência do Brasil. Mas a alta votação em Bolsonaro está a levar alguns especialistas em política a dizer que o realinhamento partidário vai exigir uma nova forma de convivência política. E Bolsonaro não é apontado como sendo a pessoas mais indicada para atuar como agregador. “O eixo político que estruturou o jogo político nos últimos 25 anos acabou”, diz Sérgio Abranches.

Leia a notícia completa em Folha de São Paulo (acesso livre, conteúdo em português).

Reuters

China confirma detenção do presidente da Interpol

A China confirmou a detenção do presidente da Interpol naquele país, Meng Hongwei, por alegada “grave violação da legislação estatal”, informou o diário South China Morning Post. Meng estava considerado desaparecido desde 25 de setembro, quando viajou para a China. Após vários dias de silêncio, a comissão nacional de supervisão (o órgão anticorrupção chinês) informou num breve comunicado a detenção de Meng — que anteriormente ocupava a pasta de ex-ministro-adjunto para a Segurança Pública do Governo chinês, antes de ser nomeado como dirigente máximo da Interpol em novembro de 2016.

Leia a notícia completa em Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês).

Expansión

Acciona vende participação na Testa à Blackstone por 379 milhões de euros

Considerada uma das três maiores construtoras de Espanha, a Acciona aceitou a oferta da Blackstone. A empresa com sede em Alcobendas vai vender a sua participação na empresa de Elon Musk, que ascende a cerca de 20%, por um preço de aproximadamente 379 milhões de euros, o equivalente a 14,32 euros por ação. O negócio está, no entanto, ainda pendente de ser formalizado.

Leia a notícia completa em Expansión (acesso livre, conteúdo em espanhol).

Tech Crunch

Próximos grandes restaurantes podem não ter cozinha própria

Se os investidores de algumas das maiores empresas de tecnologias estiverem certos, a próxima grande cadeia de restaurantes não vai ter as suas próprias cozinhas. Em vez disso, fará parte de um rede de cozinhas partilhadas, uma forma de reduzir despesas e criar novos conceitos em fast food e jantares mais formais. De acordo com um relatório do grupo de pesquisa do UBS — “Evidence Lab” –, até 2030, este mercado pode crescer de 35 mil milhões de dólares para 365 milhões de dólares.

Leia a notícia completa em Tech Crunch (acesso livre, conteúdo em inglês).

The New York Times

Acidente em Nova Iorque: limusina choca com veículo e provoca 20 mortes

Durante o fim de semana, em Nova Iorque, uma limusina e outro veículo colidiram violentamente, provocando a morte de 20 pessoas (18 ocupantes da limusina, incluindo o motorista, e duas outras pessoas que estavam a passar na rua). Os 17 amigos estavam, segundo o que o jornal americano escreve, numa festa de aniversário e dirigiam-se para uma cervejaria. O acidente deu-se perto da loja de recordações Apple Barrel Country Store, no condado de Schoharie, na parte oeste de Nova Iorque. As investigações começaram no domingo, para apurar a causa do acidente, e as autópsias estão em andamento.

Leia a notícia completa em The New York Times (acesso livre, conteúdo em inglês).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião