CDS quer explicações do Governo sobre escolha de deputado do PS para ERSE

  • Lusa
  • 9 Outubro 2018

Pedro Mota Soares espera que “o Governo dê uma explicação cabal" sobre a nomeação do socialista Carlos Pereira para a ERSE, algo que, de acordo com o centrista, deixa "muitas dúvidas".

O CDS-PP pediu esta terça-feira que o ministro da Economia vá ao parlamento dar explicações sobre a nomeação do deputado socialista Carlos Pereira para a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), que considera poder representar uma governamentalização.

Um dia depois de ser conhecida a escolha de Carlos Pereira para a ERSE, Pedro Mota Soares, do CDS, afirmou à agência Lusa que “escolher um deputado da maioria governamental, que apoia a maioria governamental, ao qual não é conhecido uma especial ligação ao setor regulador ou energético”, deixa “muitas dúvidas” aos centristas. Pedro Mota Soares espera que “o Governo dê uma explicação cabal sobre esta matéria” por que é possível “estar o correr um risco de começar a governamentalizar instituições que têm que ser independentes do poder político”.

Os reguladores são “muito importantes numa economia social de mercado, têm uma tarefa muito importante para garantir que não há abusos dos poderes públicos nem de grandes companhias”, afirmou. Mota Soares duvida que a independência da ERSE esteja a ser garantida com a escolha de Carlos Pereira e é por isso que pediu, “com caráter de urgência”, a audição do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, na comissão parlamentar de Economia.

Os centristas defendem, lembrou o deputado, uma nova forma de escolha de membros para as entidades reguladoras, mas esta depende de uma revisão constitucional para mexer nos poderes presidenciais. O CDS já propôs que fosse o Governo a indicar os nomes, a Assembleia da República faria uma audição e o Presidente a nomeação. O Governo escolheu o deputado socialista Carlos João Pereira para vogal do Conselho de Administração da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), segundo informação publicada na página da Assembleia da República.

De acordo com a agenda parlamentar, Carlos João Pereira será ouvido na quarta-feira de manhã, dia 10, na comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas como “personalidade indigitada para vogal do Conselho de Administração da ERSE”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CDS quer explicações do Governo sobre escolha de deputado do PS para ERSE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião