Depois do Porto, Taxify expande-se para Braga

A Taxify, uma das principais concorrentes da Uber, chegou esta quarta-feira à cidade de Braga. Plataforma quer "facilitar" o transporte entre cidades no norte do país.

A Taxify passou a operar também em Braga, depois de ter lançado o serviço no Porto. Com a expansão, anunciada esta quarta-feira num comunicado, a empresa de capital estoniano passa a operar em três cidades portuguesas, onde se inclui Lisboa.

Depois do lançamento no Porto, a Taxify ruma agora a uma nova cidade do Norte, onde já tem motoristas a aceitar as suas primeiras viagens”, lê-se numa nota enviada ao ECO. Citado, David Ferreira da Silva, diretor-geral da plataforma em Portugal, considera Braga “uma cidade importante do norte do país”.

Com esta expansão, pretendemos que a Taxify facilite o transporte em Braga e, também, entre as várias cidades do norte do país. Percebemos que a região norte tem ainda imenso potencial por explorar”, refere.

O processo de expansão surge também numa altura em que a aplicação introduziu uma nova funcionalidade que permite ver o preço de uma viagem antes de a mesma começar, à semelhança das concorrentes Cabify e Chauffeur Privé.

Segundo os dados da empresa, o serviço está a crescer a nível global na ordem dos 20% a cada mês. “A nível global, já atingiu os 15 milhões de utilizadores. O número de viagens na plataforma está a crescer 20% por mês e 500.000 motoristas já usam a plataforma como emprego a tempo inteiro ou segundo emprego”, sublinha a Taxify.

A plataforma é um dos quatro players em Portugal num mercado da economia da partilha que é liderado pela norte-americana Uber. A empresa tem sede na Estónia e chegou ao país em janeiro deste ano.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Depois do Porto, Taxify expande-se para Braga

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião