OPV da Sonae MC falha. Sonae explica com queda das bolsas

A Sonae decidiu cancelar a oferta publica a decorrer. Justifica a opção com a tensão nos mercados.

A Sonae falhou a oferta publica de venda (OPV), que tinha arrancado esta semana. Exatamente uma semana depois de ver o prospeto aprovado por parte da CMVM, a dona do Continente vem agora dar um passo atrás na dispersão do capital da empresa de retalho, justificando-o com a tensão nos mercados internacionais.

“A Sonae SGPS informa que, face às condições adversas nos mercados internacionais, a oferta institucional não se concretizará, o que determinará, consequentemente, a não execução da oferta pública de venda de ações da Sonae MC”, diz a empresa no comunicado enviado à CMVM.

A OPV da Sonae arrancou esta segunda-feira, 8 de outubro, com a empresa a colocar à venda 21% do capital da empresa, com a maior “fatia” a ser destinada aos investidores institucionais. No prospeto da operação, a Sonae alertava que caso as condições de mercado fossem adversas, a não concretização da venda desta “fatia” invalidaria toda a operação. Foi o que aconteceu.

A empresa arrancou com o roadshow numa semana que ficou marcada por quedas acentuadas nos mercados acionistas. A tensão entre Roma e Bruxelas, por causa do orçamento, mas também a escalada dos juros da dívida nos EUA, levaram as bolsas a registarem desvalorizações acentuadas, atirando os índices para mínimos. Lisboa está no nível mais baixo em ano e meio.

Sem conseguir vender as ações aos institucionais, a OPV caiu. Os pequenos investidores que nestes dias colocaram ordens de compra das ações não vão poder comprar os títulos que a empresa colocou no mercado com um valor entre 1,40 e 1,65 euros. Essas ordens podem ser revogadas por esses investidores, mas mesmo que não sejam acabarão por ser invalidadas.

(Notícia atualizada às 20h53 com mais informação)

Comentários ({{ total }})

OPV da Sonae MC falha. Sonae explica com queda das bolsas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião