Barbie quer igualdade de oportunidades. Homenageia mulheres inspiradoras no Dia Internacional das Raparigas

A Barbie anunciou o "Dream Gap Project", uma iniciativa que pretende chamar a atenção para os fatores limitadores que impedem as raparigas de acreditarem no seu potencial.

A Barbie continua empenhada em homenagear as mulheres, com o objetivo de transmitir às crianças exemplos de mulheres reais que vingaram nas mais diversas áreas, desde a ciência, à música ou ao desporto. Para assinalar o Dia Internacional das Raparigas, a marca de bonecas anunciou, em todo o mundo, o Dream Gap Project.

De acordo com o comunicado, trata-se de uma iniciativa que pretende chamar a atenção para os fatores limitadores que impedem as raparigas de acreditaram no seu potencial, incentivando-as assim a seguirem os seus sonhos.

Pelo terceiro ano consecutivo, os Barbie Awards distinguiram uma série de mulheres consideradas inspiradoras para as crianças portuguesas. A edição deste ano, que ocorreu na passada quinta-feira, homenageou as cantoras Ana Moura e Gisela João, a atriz Cláudia Vieira, a jornalista Conceição Queiroz, a artista plástica Joana Vasconcelos, a apresentadora Raquel Strada, a astrobióloga Zita Martins, as atletas Joana Schenker e Telma Monteiro e Madalena Amaral, a primeira comandante mulher do comando regional da Madeira da Polícia de Segurança Pública. Todas receberam bonecas idênticas a si próprias.

O Dream Gap Project pretende incentivar a sociedade a apoiar as raparigas, num momento em que, de acordo com vários estudos, a partir dos cinco anos, as crianças do sexo feminino começam a acreditar que o seu género é menos inteligente e, por isso, começam a perder a confiança nas suas competências. “Estereótipos culturais, enviesamentos implícitos e a representação nos media têm vindo a reforçar este problema que foi chamado Dream Gap“, pode ler-se no comunicado.

Num inquérito desenvolvido pela Mattel Portugal, realizado no passado mês de setembro, a questão sobre a igualdade de oportunidades assume o destaque, uma vez que 64% dos inquiridos não acreditam que as raparigas tenham, atualmente, as mesmas oportunidades profissionais que os rapazes.

Veja o vídeo da campanha deste projeto da Barbie.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Barbie quer igualdade de oportunidades. Homenageia mulheres inspiradoras no Dia Internacional das Raparigas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião