Esta é a maior ponte do mundo. Custou dois mil milhões de euros

  • Lusa
  • 20 Outubro 2018

É a maior ponte do mundo e liga Hong Kong à cidade de Zhuhai e a Macau. A estrutura principal mede 29,6 quilómetros numa extensão total de 55 quilómetros e a obra custou dois mil milhões de euros.

A ponte que liga Hong Kong à cidade de Zhuhau e a Macau vai abrir na próxima terça-feira, depois de nove anos em construção e de um investimento que totalizou quase dois mil milhões de euros. É considerada a maior ponte do mundo e também é vista como uma oportunidade para os empresários lusófonos.

A ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau vai abrir na próxima terça-feira, indicou em comunicado o gabinete de ligação na região administrativa especial chinesa, citado pelo jornal South China Morning Post. A mega infraestrutura vai ser inaugurada como uma cerimónia em Zhuhai, cidade adjacente a Macau, de acordo com os convites enviados aos órgãos de comunicação local, referiu no seu site a Rádio Televisão de Hong Kong (RTHK).

Os dois órgãos de comunicação social citaram fontes que afirmaram que o Presidente chinês, Xi Jinping, e o vice-primeiro-ministro, Han Zheng, vão assistir à cerimónia, mas não se deslocarão a Macau ou a Hong Kong.

No início deste mês, o South China Morning Post noticiou que um dos principais acessos à ponte em Hong Kong só irá abrir em 2019, o que irá criar congestionamentos no acesso à travessia. “Vamos enfrentar uma situação em que a ponte está aberta, mas a estrada principal para entrar [na travessia] está fechada. O uso da estrada auxiliar, que é estreita, (…) afetará gravemente o fluxo de tráfego da ponte e a eficiência dos veículos comerciais”, advertiu a mesma fonte. As autoridades de Hong Kong, Macau e Zhuhai realizaram, no final do mês passado, três dias de testes na ponte, cujos resultados foram enviados para Pequim e determinaram a data da inauguração.

Considerada a maior travessia marítima do mundo, a ponte é um marco do projeto de integração regional da Grande Baía, que visa criar uma metrópole mundial a partir dos territórios de Hong Kong, Macau e nove localidades da província chinesa de Guangdong (Cantão, Shenzhen, Zhuhai, Foshan, Huizhou, Dongguan, Zhongshan, Jiangmen e Zhaoqing). A estrutura principal mede 29,6 quilómetros, com uma secção em ponte de 22,9 quilómetros e um túnel subaquático de 6,7 quilómetros, numa extensão total de 55 quilómetros.

A construção começou em 2011 e previa-se a abertura para 2016, mas vários problemas, como acidentes de trabalho, uma investigação de corrupção, obstáculos técnicos e derrapagens orçamentais obrigaram a um adiamento da inauguração. A ponte, que não vai ser de livre circulação (sujeita a portagens), custou aos três governos cerca de 1,9 mil milhões de euros, de acordo com o South China Morning Post.

Macau pode responder a 250 mil passagens por dia

O novo posto fronteiriço de Macau que serve a mega ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau vai ter a capacidade para responder a 250 mil passagens diárias, disse à Lusa fonte das forças de segurança.

As autoridades de Macau realizaram uma visita guiada ao novo posto fronteiriço, localizado numa ilha artificial com mais de 100 hectares, e garantiram que está tudo preparado para as exigências da maior travessia marítima do mundo, que vai ser inaugurada na terça-feira e cuja abertura ao trânsito está prevista para um dia depois, ligando as regiões administrativas especiais de Macau e Hong Kong e a cidade chinesa de Zhuhai.

Mais de oito mil lugares de estacionamento vão estar disponíveis em dois auto-silos situados na zona de administração de Macau, estando previstas mais de 200 partidas diárias de autocarros que vão ligar os postos fronteiriços, com intervalos, em média, de cinco minutos na hora de ponta.

Em comunicado, as autoridades de Macau informaram que o chefe do executivo, Chui Sai On, vai marcar presença na inauguração da ponte em Zhuhai. “A abertura da ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau vai incrementar o fluxo de pessoas, mercadorias e de capital entre estes três territórios e terá de certeza influências no desenvolvimento económico local e na sua participação na cooperação regional”, pode ler-se na nota.

A nova infraestrutura vai alargar “a dimensão e a escala do mercado para Macau, além de oferecer novas oportunidades de negócio a empresas e investidores e promover uma melhor integração” do território “na estratégia nacional de desenvolvimento”, refere-se no comunicado.

Ponte é boa oportunidade para empresários lusófonos

O secretário-geral adjunto do Fórum Macau defendeu que a abertura da ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, na próxima semana, vai ajudar os empresários lusófonos a entrarem nas regiões que têm “parte significativa do Produto Interno Bruto” chinês.

“Para os empresários dos países de língua portuguesa é naturalmente uma forma de entrar na China de uma forma mais eficaz e direta junto das regiões da China que têm hoje uma dinâmica e uma expressão muito significativa”, afirmou à Lusa Rodrigo Brum, à margem da Feira Internacional de Macau (MIF, na sigla em inglês), o maior evento para a promoção do comércio e investimento do território.

“Estamos a falar de uma parte significativa do Produto Interno Bruto chinês e da população empresarial da China”, sublinhou o secretário-geral adjunto indicado pelos países de língua portuguesa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Esta é a maior ponte do mundo. Custou dois mil milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião