Altri ganha mais. Lucros chegam aos 120 milhões

  • Lusa
  • 1 Novembro 2018

Ao mesmo tempo que aumentou os lucros, a Altri reforçou o seu perfil exportador ao colocar nos mercados externos 705,4 mil toneladas de pasta desde o início do ano.

A Altri registou um forte aumento dos resultados líquidos. Os lucros subiram 77% nos primeiros nove meses para 120,4 milhões de euros, valor que compara com os 68 milhões de euros registados no período homólogo.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Altri adianta que no terceiro trimestre o resultado líquido avançou 76,3% para 46,6 milhões de euros.

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) subiu 52,6% no terceiro trimestre, para 82 milhões de euros, e os custos totais aumentaram 10,1% para 123,2 milhões de euros.

“As receitas totais da Altri no terceiro trimestre atingiram 205 milhões de euros, valor que correspondem a um aumento de cerca de 24% face a 2017, valor em linha com o verificado no trimestre anterior”. Até setembro as receitas cresceram 18,9% para 583,6 milhões de euros.

“A Altri reforçou o seu perfil exportador ao colocar nos mercados externos 705,4 mil toneladas de pasta desde o início do ano. O volume de exportações atingiu 451 milhões de euros”, refere a empresa, adiantando que no terceiro trimestre estas subiram 28% para 178,7 milhões de euros.

Nos primeiros nove meses do ano, as unidades industriais do grupo Altri produziram cerca de 814,7 mil toneladas de pastas e as vendas totais ascenderam a 797,1 mil toneladas de pasta.

“Em termos operacionais, depois do arranque do turbogerador para produção de energia elétrica na unidade industrial Celtejo no final do segundo trimestre, esta unidade industrial está numa fase de ‘ramp up’ em termos de produção de pasta e de energia elétrica. Serão de esperar melhorias durante o quarto trimestre de 2018″, concluiu a empresa.

A Altri é um produtor europeu de pasta de eucalipto, estando ainda presente no setor das energias renováveis de base florestal, nomeadamente a cogeração industrial através de licor negro e a biomassa”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Altri ganha mais. Lucros chegam aos 120 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião