Surf Summit fica na Ericeira mais 10 anos. Pode estender-se até Sagres

  • Lusa
  • 4 Novembro 2018

Paddy Cosgrave revelou este domingo que a Surf Summit, evento que antecede o Web Summit, vai continuar na Ericeira por mais dez anos, mas admitiu a possibilidade de fazer uma edição em Sagres.

Paddy Cosgrave revelou este domingo que a Surf Summit, evento que antecede o Web Summit, continuará a realizar-se nos próximos dez anos na Ericeira, admitindo a possibilidade de fazer uma segunda edição em Sagres.

“Já tivemos dois anos espantosos e é ótimo estar de volta à Ericeira para mais uma edição da Surf Summit. Vamos planear algo muito especial para os próximos dez anos”, afirmou o empreendedor irlandês num encontro com jornalistas na Praia da Foz do Lizandro, Ericeira.

Questionado sobre quais as novidades que tem preparadas para o futuro, o presidente executivo do Web Summit disse que, neste momento, está apenas “focado” nos próximos quatro dias, durante os quais se vai realizar em Lisboa a maior cimeira tecnológica do mundo, mas deixou no ar a hipótese de promover uma segunda edição da Surf Summit, no sul do país.

“No último ano fui para Sagres três vezes aprender a fazer surf. Pode ser uma desculpa para fazer lá uma segunda edição”, lançou o responsável, sublinhando que o objetivo passa por manter o formato de contar com cerca de 200 a 250 participantes em cada edição da Surf Summit, como tem acontecido nestas três primeiras edições.

Mais tarde, Paddy Cosgrave, cuja mulher e irmão são praticantes de surf, explicou à agência Lusa que, além da Ericeira, ficou fã de Sagres ao longo do último ano, pelo que vai estudar a possibilidade de “manter a Ericeira e organizar outra Surf Summit em Sagres“, em moldes ainda a definir.

"No último ano fui para Sagres três vezes aprender a fazer surf. Pode ser uma desculpa para fazer lá uma segunda edição.”

Paddy Cosgrave

Presidente executivo do Web Summit

Hélder Sousa Silva, presidente da Câmara Municipal de Mafra, que também participou neste encontro com jornalistas, ficou agradado com as palavras do presidente executivo do Web Summit, assumindo que é um desígnio da autarquia que lidera continuar a albergar a Surf Summit.

“É o terceiro ano consecutivo que este evento se realiza e, para nós, é um orgulho e uma honra, porque a Surf Summit ajuda à promoção da Ericeira nos quatro cantos do mundo”, destacou.

O autarca de Mafra, onde se localiza a vila da Ericeira, agradeceu a Paddy Cosgrave a aposta nas prais da primeira reserva mundial de surf da Europa e a segunda do mundo, considerando que se trata do “melhor lugar para o surf, mas também para o ‘stand up paddle’ (SUP) e para as caminhadas”.

E atirou: “Já disse ao Paddy que, tal como Lisboa vai ter o Web Summit por mais dez anos, que nós também venhamos a ter a Surf Summit por mais dez anos“.

Segundo o político, desde a primeira edição da Surf Summit, em 2016, “têm vindo a instalar-se algumas empresas tecnológicas nesta região, promovendo o emprego e o desenvolvimento”.

Por seu turno, o surfista Tiago “Saca” Pires, o primeiro português a correr no circuito mundial de surf, que tem vindo a estar presente nas iniciativas da Surf Summit desde o seu arranque, declarou-se honrado por estar associado a um evento como a Web Summit e realçou as vantagens que a Surf Summit trás para os participantes oriundos dos mais variados lugares do mundo.

“Trocamos diferentes ideias e conceitos. É uma experiência única e obtemos inputs importantes para desenvolver negócios“, lançou, elogiando a informalidade da iniciativa que permite a aprendizagem num contexto descontraído e de comunhão com a natureza.

“As pessoas saem daqui com os olhos a brilhar”, assinalou o surfista.

Joana Schenker, a primeira campeã mundial de bodyboard portuguesa, confessou estar “muito entusiasmada” por estar a participar pela primeira vez na Surf Summit, destacando a importância de se aproveitar a oportunidade para discutir as questões relacionadas com a proteção do meio ambiente.

A terceira edição da Surf Summit, evento que antecede a cimeira tecnológica Web Summit, decorre este fim de semana na Ericeira, permitindo aos participantes o convívio e a aprendizagem com atletas profissionais dos desportos das ondas.

A cimeira tecnológica, de inovação e de empreendedorismo Web Summit nasceu em 2010 na Irlanda e mudou-se em 2016 para Lisboa, devendo permanecer até 2028 no Altice Arena (antigo Meo Arena) e na Feira Internacional de Lisboa (FIL), em Lisboa.

Nesta terceira edição do evento em Portugal são esperados cerca de 70 mil participantes de mais de 170 países.

A edição deste ano realiza-se entre os dias segunda e quinta-feira.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Surf Summit fica na Ericeira mais 10 anos. Pode estender-se até Sagres

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião