Greve do Metro durante o Web Summit não vai ter serviços mínimos

A greve do Metro de Lisboa em dois dias da próxima semana não vai ter serviços mínimos. Trabalhadores da empresa agendaram protesto para 6 e 8 de novembro, dias de Web Summit.

A greve do Metro de Lisboa em dois dias da próxima semana não vai ter serviços mínimos. Além da paragem a 6 de novembro, os trabalhadores da empresa vão fazer greve parcial também no dia 8, dias que coincidem com a realização do evento de tecnologia Web Summit, no Parque das Nações, em Lisboa.

Não serão fixados serviços mínimos relativamente à circulação de composições“, lê-se na decisão de arbitragem obrigatória publicada pelo Conselho Económico e Social (CES) para a determinação de serviços mínimos obrigatórios por causa da greve de vários sindicatos do Metro. Justifica-se esta decisão com “a curta duração” da greve e a “existência de outros meios de transporte alternativos”.

A greve agendada para 6 de novembro deverá afetar cerca de 500 mil clientes da empresa, incluindo aqueles que vão participar no evento. A greve do dia 8 seguirá os mesmos moldes: inicia-se às 6h30 e termina às 9h30.

A decisão de arbitragem determinou, ainda assim, que terão de ser assegurados “os serviços necessários à segurança e manutenção do equipamento e das instalações”, nomeadamente no posto de comando central (três trabalhadores) e na assistência técnica da manutenção (dois trabalhadores.

“Quanto aos meios humanos necessários para assegurar a prestação dos serviços mínimos tal como definidos, deverão ser os representantes dos sindicatos, a identificar (…) os trabalhadores adstritos a cumprir tal obrigação”, lê-se na decisão do CES.

O Web Summit 2018 decorre de segunda a quinta-feira da próxima semana no Altice Arena e Pavilhões da FIL, no Parque das Nações

(Notícia atualizada às 11h10)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Greve do Metro durante o Web Summit não vai ter serviços mínimos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião