Brexit? Tony Blair está “100% contra” e diz que ainda é possível parar divórcio

A saída do Reino Unido da União Europeia está marcada para março do próximo ano, mas Tony Blair acredita que ainda é possível parar esse divórcio. Diz que irá tentar fazê-lo "até ao final".

Ainda é possível parar o divórcio mais polémico dos últimos dois anos? Tony Blair acredita que sim. No terceiro dia do Web Summit, o ex-primeiro-ministro britânico frisou que irá tentar evitar a concretização do Brexit “até ao final” e apelou à realização de um segundo referendo sobre esta matéria.

Tony Blair esteve no palco principal do Web Summit.

“Estou 100% contra o Brexit”, garantiu o político. “Vou tentar pará-lo, até ao final. Penso que é possível parar”, disse. Na opinião de Blair, a saída do Reino Unido do bloco europeu, deixará as economias de ambas as partes debilitadas.

Sobre as várias possibilidades atualmente em cima da mesa, o ex-governante considerou “dolorosa” uma saída sem acordo, mas não deixou elogios aos feitos de Theresa May. Aliás, definiu-a como “inútil”. “O acordo está a tentar contornar o Brexit, mas não há como contornar o Brexit”, salientou.

Nesse sentido, Tony Blair apelou à realização de um segundo referendo sobre o Brexit, agora com os cidadãos mais conscientes das consequências dessa saída.

Esta não é a primeira vez que o ex-primeiro-ministro deixa este apelo. O político já chegou mesmo a defender que os deputados deverão chumbar qualquer acordo de modo a pressionar o Governo a ouvir de novo os cidadãos.

A saída do Reino Unido da União Europeia acontecerá a 29 de março do próximo ano, mas ainda não foi alcançado um acordo entre o Executivo de Theresa May e Bruxelas. Apesar de o Governo britânico garantir que 90% dos termos já estão consolidados, persiste uma disputa: a fronteira entre as duas Irlandas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Brexit? Tony Blair está “100% contra” e diz que ainda é possível parar divórcio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião