Fundos europeus vão apoiar aquisição de mais 199 autocarros amigos do ambiente

Foi solicitado apoio para a aquisição de 199 autocarros limpos (118 a gás natural e 81 elétricos) e 29 postos de abastecimento (26 elétricos e três de gás natural).

Os Fundos Europeus vão financiar a compra de mais 199 autocarros limpos, ou seja, veículos amigos do ambiente, entre autocarros elétricos e movidos a gás natural. O ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, revelou que o Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR) recebeu 17 candidaturas ao segundo aviso para aquisição de autocarros limpos.

De acordo com a nota informativa do ministro, ao abrigo destas candidaturas — que encerraram no dia 26 de outubro — foi solicitado apoio para a aquisição de 199 autocarros limpos, sendo que 118 são a gás natural e os restantes 81 são elétricos.

A Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) apresentou a maior candidatura do segundo aviso, solicitando 86 autocarros, seguida da Carris, que contempla a aquisição de 15 autocarros. Contudo, além de autocarros, foi também pedido financiamento para adquirir 29 postos de abastecimento, 26 elétricos e três de gás natural.

Mobilizando perto de 23 milhões de euros de fundos comunitários, as candidaturas agora apresentadas perfazem um investimento de quase 64 milhões de euros.

Este é o segundo aviso do POSEUR para o apoio à aquisição de autocarros de elevada performance ambiental, sendo que no primeiro aviso, em 2016, foi financiada a compra de 516 veículos e de 16 postos de abastecimento. Na altura, as 11 candidaturas, posteriormente aprovadas, foram financiadas em 54 milhões de euros, o que permitiu um investimento de aproximadamente 156 milhões de euros. O POSEUR é um programa estrutural do Portugal 2020, sob a tutela do Ministério do Ambiente e, até agora, o investimento total ultrapassa os 220 milhões de euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fundos europeus vão apoiar aquisição de mais 199 autocarros amigos do ambiente

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião