Resultados da EDP castigam bolsa de Lisboa. Elétrica perde mais de 2%

O PSI-20 abriu no vermelho, contrariando a tendência das últimas sessões. A contribuir para esta queda está a EDP, depois de ter apresentado uma queda de 74% nos lucros.

A bolsa nacional abriu em queda na última sessão da semana, invertendo a tendência das últimas sessões. Lisboa acompanha, assim, o cenário vivido nas restantes praças europeias, pressionada pela elétrica liderada por António Mexia. Depois da queda dos resultados, as ações da EDP deslizam mais de 2%.

O principal índice de referência nacional está a descer 0,39% para 5.000,93 pontos, acompanhando a tendência das restantes praças europeias e das asiáticas, que estão a ser pressionadas pela perspetiva de um novo aumento de juros por parte da Reserva Federal (Fed) nos Estados Unidos. O francês CAC-40 está a recuar 0,66% para 5.095,88 pontos, enquanto o espanhol Ibex-35 desvaloriza 0,69% para 9.113,5 pontos.

A pressionar Lisboa está a EDP, cujos títulos estão a perder 1,79% para 3,121 euros, tendo chegado a ceder mais de 2% no arranque da negociação. Uma queda que acontece depois de a elétrica ter apresentado uma descida de 74% nos lucros para 297 milhões de euros no conjunto dos nove primeiros meses do ano, penalizada, sobretudo, pela provisão de 285 milhões de euros para os CMEC.

Esta sexta-feira, a empresa liderada por António Mexia anunciou a venda de centrais mini-hídricas em Portugal, numa operação avaliada em 164 milhões. Ao todo são 21 centrais mini-hídricas, com capacidade para 103 MW, situadas no centro e norte do país.

Ainda no setor da energia, a Galp também está a pressionar o PSI-20. Os títulos da petrolífera recuam 0,74% para 14,845 euros, numa altura em que o preço do petróleo regista quebras expressivas. O barril de West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, está a desvalorizar 0,54% para 60,34 dólares e entrou em bear market, já que acumula uma desvalorização superior a 20% desde o último máximo, registado a 3 de outubro.

No vermelho está ainda a Sonae Capital, a representar a maior queda da sessão com as ações a perderem 4,62% para 0,723 euros, depois de ter apresentado um prejuízo de 6,31 milhões de euros até setembro, cerca de dez vezes mais do que no mesmo período do ano anterior.

A impedir uma queda mais acentuada do PSI-20 estiveram os títulos do BCP. O banco liderado por Miguel Maya está a subir 1,01% para 0,2501 euros, depois de os lucros terem quase duplicado até setembro para 257,5 milhões de euros até setembro.

Destaque ainda para a EDP Renováveis, que sobe 1,15% para 7,885 euros, representando a maior subida da sessão, e da REN, cujos títulos valorizam 0,83% para 2,44 euros, depois de ter visto os lucros crescerem 2,3% nos primeiros nove meses do ano, com a ajuda da Portgás.

(Notícia atualizada às 8h36 com mais informação)

Comentários ({{ total }})

Resultados da EDP castigam bolsa de Lisboa. Elétrica perde mais de 2%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião