Brico Depôt vai sair de Portugal em 2019. Tem lojas em Loures, Sintra e Gaia

A empresa britânica de bricolage vai encolher as suas operações internacionais. Pretende focar-se nos principais mercados. Anunciou a saída de Portugal onde tem 226 funcionários.

A Kingfisher, empresa britânica de bricolage, vai encolher as suas operações internacionais. Pretende focar-se nos principais mercados, por isso anunciou a saída de Portugal, Espanha e Rússia. No mercado nacional conta com três lojas Brico Depôt: duas em Lisboa e uma em Gaia, no distrito do Porto que dão emprego a cerca de 200 trabalhadores. A empresa não tem ainda data de saída, mas adiantou ao ECO que esta deverá acontecer em 2019.

“Apenas anunciamos os nossos planos, pelo que é difícil ser preciso”, começou por dizer Nigel Cope, responsável da Kingfisher pelas relações com os media, acrescentando contudo que “será provavelmente no próximo ano”.

O anúncio da saída destes três mercados foi feito nesta quarta-feira, com aquela que é atualmente a segunda maior cadeia de lojas de bricolage da Europa, a justificar a decisão com o objetivo de se focar nos principais mercados onde pretende alcançar a liderança, segundo avança a Reuters. A B&Q e a Screwfix, no Reino Unido, e a Castorama e Brico Depôt, em França, são as principais insígnias que a Kingfisher dispõe.

No total a cadeia britânica engloba cinco marcas com mais de 1.100 lojas em 10 países europeus, com um total de 74.000 funcionários. A Brico Depôt Iberia conta com 31 lojas abertas em Espanha e Portugal, e com um total de 1.700 trabalhadores.

De acordo com o Expansion, do total de 31 lojas, 28 estão situadas em Espanha, dando emprego a 1.500 pessoas. As três lojas situadas em Portugal contam com 226 trabalhadores, confirmou a empresa britânica. Têm portas abertas em Sintra e Loures, no distrito de Lisboa, e em Gaia, no distrito do Porto.

Relativamente a essas lojas, a Kingfisher adianta que estas continuarão, entretanto, de portas abertas. “As lojas continuarão a funcionar normalmente. Vamos explorar um leque de opções no processo”, adiantou ao ECO a empresa britânica.

A venda da Brico Depôt Iberia como um todo não é descartada pela Kingfisher. “Pode ser uma possibilidade. Mas ainda é muito cedo para dar uma certeza”, afirmou Nigel Cope.

O anúncio de desinvestimento na Península Ibérica, e em concreto no mercado português, surge quase 20 anos depois de ter sido criada a Brico Depôt Ibéria, em 1999. Mas apenas quatro anos após a abertura da primeira loja em Portugal, em 2014.

No final de 2013, o grupo Kingfisher anunciava a intenção de inaugurar a sua presença em Portugal no ano seguinte, com a abertura da primeira Brico Depôt, em Lisboa. Fazia ainda planos para expandir a sua presença no mercado nacional. Quatro anos depois chega a hora do grupo britânico mudar de rumo.

(Notícia atualizada pela última vez às 11h00 com reação da empresa)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Brico Depôt vai sair de Portugal em 2019. Tem lojas em Loures, Sintra e Gaia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião