Luanda certifica dívida de 200 milhões de euros às empresas portuguesas

  • Lusa
  • 21 Novembro 2018

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Angola disse esta quarta-feira que Angola já certificou dívidas às empresas portuguesas no valor de 200 milhões de euros e, deste valor, já pagou 100 milhões.

O Governo angolano já certificou dívidas às empresas portuguesas no valor de 200 milhões de euros e, deste valor, já pagou 100 milhões, anunciou esta quarta-feira em Lisboa o ministro dos Negócios Estrangeiros de Angola.

Manuel Augusto falava em conferência de imprensa num hotel da capital portuguesa a propósito da visita de Estado que o Presidente angolano, João Lourenço, efetua a Portugal entre quinta-feira e sábado. “Foi estabelecido um cronograma para assuntos pendentes, nomeadamente o atraso nos pagamentos em cambiais a algumas empresas portuguesas; desde a visita do primeiro-ministro, António Costa, a Luanda, em setembro, foi feito um grande trabalho, não só do ponto de vista teórico, mas também prático”, vincou o diplomata angolano.

“Tivemos um trabalho que já reportámos aqui às autoridades portuguesas há cerca de duas semanas, e nessa altura já tínhamos certificado dívidas no valor de 200 milhões de euros, e procedido à regularização no valor de 100 milhões de euros”, precisou Manuel Augusto.

Questionado pelos jornalistas sobre as dívidas de empresas portuguesas a Angola, nomeadamente ao fisco e à segurança social, Manuel Augusto respondeu que esse aspeto está já contabilizado. “Nós temos dívida para com algumas empresas portuguesas, mas no processo em curso de certificação constatou-se que uma boa parte dessas empresas tem dívidas com o fisco angolano, em impostos, e agora no pagamento, na regularização, já se está a fazer o acerto de contas na fonte, isto é, está-se a fazer as necessárias deduções do que há a pagar e daquilo que as empresas devem ao Estado angolano em matéria fiscal”, explicou o diplomata.

Depois do compromisso assumido em setembro, “as duas partes têm trabalhado e da parte angolana houve este honrar de compromissos, mas mais do que olhar para as dívidas, vamos aproveitar a visita para estabelecer novas regras, ou regras adaptadas ao que o futuro nos obriga”, disse Manuel Augusto. Lembrando que Portugal aumentou o limite da linha de crédito para as exportações de empresas portuguesas para Angola — para 1.500 milhões de euros –, Manuel Augusto afirmou que “compete a Angola apresentar projetos com a participação de empresas portuguesas, para beneficiarem destes limites”.

É isso que Angola está a fazer, continuou, dando conta de uma “sessão de trabalho” entre o ministro das Finanças de Angola e a COSEC, a entidade portuguesa responsável pelos seguros de crédito às exportações nacionais. As relações entre os dois países “são históricas, e do ponto de vista político, são excelentes”, sendo objetivo das duas partes que “a cooperação comercial, económica e técnica possa estar ao nível das relações políticas”.

O futuro, continuou o governante na conferência de imprensa que deu o “pontapé de saída” para a visita do Presidente de Angola, João Lourenço, a Portugal, a partir de quinta-feira, é “brilhante”, considerou o ministro das Relações Exteriores de Angola, vincando que “estão criadas as condições para que, do ponto de vista institucional, as relações sejam reforçadas”.

(Notícia atualizada às 13h07 com mais informação)

Comentários ({{ total }})

Luanda certifica dívida de 200 milhões de euros às empresas portuguesas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião