Venda de carros elétricos com crescimento “exponencial” este ano

  • Lusa
  • 21 Novembro 2018

"Já se venderam, até setembro, bem mais veículos elétricos este ano do que em todo o ano passado", disse José Gomes Mendes, secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade.

A venda de carros elétricos em Portugal registou este ano um crescimento “exponencial”, disse esta quarta-feira o secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, José Gomes Mendes. Segundo o governante, “por cada 100 carros vendidos, mais de cinco já são elétricos”, “um crescimento que começa a ser exponencial”.

“Já se venderam, até setembro, bem mais veículos elétricos este ano do que em todo o ano passado”, disse hoje José Gomes Mendes, na Guarda, na sessão de abertura da conferência “Mobilidade Urbana Sustentável”, promovida pela Câmara local. Em declarações à agência Lusa, no final da intervenção, o secretário de Estado assumiu que os números das vendas de veículos elétricos “são muito satisfatórios”.

“A taxa de penetração dos veículos elétricos e híbridos plug-in, quando comparada com o total de veículos vendidos, até setembro deste ano, já vai em 5,4%, portanto, está mais do que a duplicar a cada ano. É exponencial, o crescimento”. Para o responsável, o cenário “significa que o português comum já percebe que há vantagens em utilizar veículos de emissões zero, portanto, descarbonizados”, o que considera “boas notícias para a mobilidade em Portugal”.

“Nós [Governo] temos uma meta de, em 2040, todos os novos veículos vendidos em Portugal serem veículos de zero emissões ou [de] muito baixas emissões. Com o andamento da adesão das pessoas à mobilidade descarbonizada, eu acredito que este objetivo vai ser conseguido bem antes de 2040″, adiantou.

José Gomes Mendes lembrou que já existem incentivos para a aquisição de veículos elétricos que vão ser mantidos e “até aumentados” no próximo Orçamento do Estado, sendo que em 2019 será introduzido “pela primeira vez, um incentivo à aquisição de bicicletas elétricas”. O Governo também está a investir na rede nacional de carregadores rápidos e semi-rápidos, disse.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Venda de carros elétricos com crescimento “exponencial” este ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião