Reformas antecipadas com mais penalização em 2019

  • ECO
  • 27 Novembro 2018

Se a esperança média de vida aumentar à mesma velocidade que se tem verificado, no próximo ano a idade legal da reforma será os 66 anos e cinco meses.

O aumento do fator da sustentabilidade, pressupondo que a esperança média de vida avança ao mesmo ritmo que 2017, vai ditar uma maior penalização nas reformas no próximo ano.

A partir de janeiro, para quem se reformar antes da idade legal da reforma, o fator de sustentabilidade passará dos atuais 14,5% para 14,8%, escreve o Diário de Notícias (acesso condicionado), no caso de a esperança média de vida aumentar à mesma velocidade que se tem verificado. Para evitar penalizações, será assim necessário trabalhar mais um mês.

O fator sustentabilidade indexa a idade legal da reforma à evolução da esperança média de vida. Desta forma, se o avanço for de um mês, no próximo ano será necessário esperar pelos 66 anos e cinco meses. Por cada mês que falte para a idade legal, a penalização sobre as reformas antecipadas é de 0,5%.

O valor oficial do fator vai ser conhecido quando o Instituto Nacional de Estatística publicar a esperança média de vida aos 65 anos em 2018.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Reformas antecipadas com mais penalização em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião