PJ investiga há algum tempo ataque informático à sociedade de advogados PLMJ

  • Lusa
  • 9 Janeiro 2019

A Polícia Judiciária está a investigar "há algum tempo" o ataque informático de que foi alvo a sociedade de advogados PLMJ, que já garantiu ter tomado medidas de proteção e contenção.

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar “há algum tempo” o ataque informático de que foi alvo a sociedade de advogados PLMJ, que esta terça-feira garantiu já ter tomado medidas de proteção e contenção. Fonte da PJ disse à agência Lusa que “o assunto está a ser tratado já há algum tempo”, sem especificar desde quando, no dia em que a sociedade de advogados revelou ter sido alvo de pirataria informática, estando a avaliar o impacto potencial desse acesso ilegítimo a informação.

Em nota enviada à comunicação social, a PLMJ esclarece que, na sequência de “sucessivas tentativas de intrusão ilícitas, a segurança da sua rede “foi recentemente comprometida”. A PLMJ adianta que a “segurança das informações dos clientes e a defesa dos seus interesses e direitos” são uma prioridade, sem, contudo, adiantar mais pormenores sobre o ato de pirataria informático.

As informações confidenciais pirateadas da sociedade de advogados foram publicadas no blogue “Mercado de Benfica”, que já tinha revelado correio eletrónico de responsáveis do Benfica.

A PLMJ é um dos escritórios de advogados que participou na defesa da SAD benfiquista no processo E-Toupeira, que culminou com o arquivamento dos indícios relativos àquela sociedade desportiva. Entre os processos judiciais mais mediáticos nos quais participaram advogados da PLMJ estão os “Vistos Gold”, o caso das Secretas/Jorge Silva Carvalho, o caso EDP e a Operação Marquês.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PJ investiga há algum tempo ataque informático à sociedade de advogados PLMJ

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião