ERSE alerta para “más práticas” nas alterações à duração dos contratos de eletricidade

O regulador alerta os consumidores para a "má prática" dos fornecedores de eletricidade em alterarem a duração dos contratos, introduzindo um período de fidelização.

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos — ERSE está a alertar os consumidores para as alterações da duração dos contratos por parte dos fornecedores de eletricidade. De acordo com o regulador, trata-se de uma “má prática” em que o fornecedor informa o cliente desta alteração e, na ausência de uma resposta rápida, “o fornecimento será interrompido”.

“O seu fornecedor de eletricidade comunica-lhe que vai alterar unilateralmente a duração do contrato, introduzindo um período de fidelização, e que, se num curto espaço de tempo a não aceitar, o fornecimento será interrompido”, alerta a ERSE.

Mas isto não é feito de forma correta. Assim, a entidade alerta o consumidor para confirmar se o contrato prevê a possibilidade de o fornecedor fazer esta alteração, “sem a sua aceitação expressa”.

No caso de haver esta possibilidade e o consumidor não ter rejeitado a tempo esta alteração contratual, ficando vinculado a um período de fidelização, esta alteração “pode ser considerada abusiva”. Isto porque o consumidor tem direito a saber destas alterações num “prazo razoável” e, nesta situação, tem três opções: aceita a duração do contrato, muda de fornecedor ou rejeita a alteração, cessando o contrato.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

ERSE alerta para “más práticas” nas alterações à duração dos contratos de eletricidade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião