Procura de crédito acelerou no final do ano. Bancos dizem que vai continuar

Inquérito do BdP aos bancos aponta para que o aumento ligeiro observado na procura de crédito pelas empresas e particulares se prolongue neste trimestre. Já as condições de oferta devem manter-se.

No final do ano passado os critérios de acesso ao crédito ficaram praticamente inalterados, mas a banca identificou uma maior procura de financiamento por parte tanto das empresas como dos particulares. Isso mesmo consta no último inquérito sobre o mercado de crédito realizado pelo Banco de Portugal aos bancos que antecipam que o cenário verificado no último trimestre se mantenha neste arranque de ano.

“Algumas instituições assinalaram um ligeiro aumento por parte das empresas no quarto trimestre de 2018, no segmento das PME e das grandes empresas, com maior destaque para os empréstimos de longo prazo”, refere o Banco de Portugal, sendo que três das instituições financeiras assinalaram um “aumento ligeiro” das necessidades de financiamento do investimento.

No caso das famílias, a tendência foi semelhante. “Algumas instituições reportaram um ligeiro aumento da procura para aquisição de habitação e para consumo e outros fins”, diz a esse propósito a entidade liderada por Carlos Costa. Esse aumento deveu-se sobretudo à melhoria da confiança dos consumidores e, em menor grau, ao nível geral das taxas de juro“, justificaram os bancos. No segmento do crédito à habitação, foram ainda referidas as perspetivas favoráveis do mercado de habitação, incluindo a esperada evolução de preços da habitação.

Para o primeiro trimestre deste ano, a expectativa tendo em conta as respostas dadas pelos cinco bancos sondados vai no sentido de que a procura mantenha uma evolução semelhante à observada no último trimestre de 2018.

É dito que “a maioria das instituições antecipa uma procura de empréstimos ou linhas de crédito por parte das empresas praticamente inalterada” e que “no segmento dos particulares, a maioria dos bancos antecipa também que a procura de crédito permaneça praticamente inalterada” face ao trimestre anterior.

Bancos mantiveram critérios. Cenário mantém-se para empresas e particulares

Apesar de a procura por crédito ter aumentado, os bancos dizem não ter registado grandes alterações nos critérios atribuídos. “Os critérios de concessão de crédito e os termos e condições gerais aplicados nos empréstimos a empresas e a particulares permaneceram, em termos globais, inalterados nos últimos três meses de 2018, por comparação com o trimestre anterior”, diz a entidade liderada por Carlos Costa.

Para o primeiro trimestre de 2019, a generalidade das instituições participantes não antecipa alterações nos critérios de concessão de crédito a empresas e a particulares. “Apenas um banco antevê um ligeiro aumento da restritividade nos critérios de concessão de crédito a particulares”, diz o Banco de Portugal.

Comentários ({{ total }})

Procura de crédito acelerou no final do ano. Bancos dizem que vai continuar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião