Penacova cria centro de soluções inovadoras para dinamizar turismo de natureza

  • Lusa
  • 8 Fevereiro 2019

O Centro de Inovação do Turismo de Natureza Km0 vai apoiar o desenvolvimento de soluções em áreas como desporto, botânica, desenvolvimento sustentável e património.

O município de Penacova quer dinamizar o turismo de natureza na região e apoiar o “desenvolvimento de soluções inovadoras” para o setor, através da criação do Centro de Inovação do Turismo de Natureza Km0.

“Dinamizar o turismo de natureza no município de Penacova, através do apoio a atividades que favorecem o aparecimento de soluções inovadoras capazes de explorar o potencial da região, é o principal objetivo do Km0”, que acaba de ser criado, anunciou esta sexta-feira a Câmara daquela vila do distrito de Coimbra, numa nota enviada à agência Lusa.

Com uma “estratégia de apoio ao empreendedorismo, à inovação tecnológica”, desde aplicações (app) ou sensores a disponibilização gratuita de dados (open data), e à “promoção de conhecimento científico”, em áreas como desporto, botânica, desenvolvimento sustentável e património, o centro de inovação “conta com o apoio do Instituto Pedro Nunes (IPN), da Universidade de Coimbra e de algumas startups tecnológicas” da região”, adianta a autarquia.

O Km0 pretende afirmar-se como um centro de inovação para “apoiar os negócios nascentes nesta área” e “permitir o acesso dessas empresas/projetos a tecnologias capazes de suportar a sua implementação”, sublinha o presidente da Câmara de Penacova, Humberto Oliveira, citado pela autarquia.

O centro também quer ser “ponto de ligação e mobilização do município”, criar “um acervo de conhecimento científico, técnico e legislativo”, e assumir-se como “a infraestrutura que possa servir de base para a exploração turística”, acrescenta o autarca socialista.

Assumindo o turismo enquanto eixo de desenvolvimento regional, os promotores do projeto apostam ainda no potencial da região para a prática e promoção do turismo de natureza.

A geografia do terreno permite que se realizem diversas atividades ligados ao turismo e desporto de natureza”, sustenta Humberto Oliveira, referindo que “em todo a vasta área do concelho existem circuitos pedestres, trilhos de ‘trail tuninng’ e BTT, todos devidamente homologados e sinalizados, que permitem descobrir vários recantos naturais”, tanto em espaços urbanos como rurais.

Penacova conjuga montanha e biodiversidade e os vales dos rios Mondego e Alva têm “condições privilegiadas para a prática dos desportos de natureza”, com destaque designadamente para “canoagem, slide, rappel, paintball, escalada, BTT e passeios pedestres”, conclui o autarca, recordando que o município dispõe de dois parques de campismo e de duas praias fluviais.

O Centro de Inovação do Turismo de Natureza “responde assim a uma das necessidades e estratégias apontadas pelo Plano Estratégico Nacional do Turismo”, que considera a natureza como um dos “dez produtos turísticos estratégicos” para o país, cujo crescimento anual previsto é de “05% nos próximos anos, fruto dos principais mercados emissores” a nível europeu (Alemanha, Reino Unido, Holanda, Escandinávia, França e Itália).

O Km0 é um dos 15 projetos contemplados com uma ‘bolsa de ignição’ do Inov C 2020, consórcio cofinanciado pelo Programa Operacional Centro 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, liderado pela Universidade de Coimbra e do qual fazem parte “dez parceiros nucleares”, entre as quais os institutos politécnicos de Coimbra, de Leiria e de Tomar, o IPN e os parques tecnológicos de Óbidos (Obitec) e do Vale do Tejo (TagusValley).

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Penacova cria centro de soluções inovadoras para dinamizar turismo de natureza

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião