Marque na sua agenda: Tem até hoje para comunicar ao Fisco mudanças no agregado familiar

Se o seu agregado familiar sofreu alterações em 2018, tem de atualizar os dados no Portal das Finanças ou através da app móvel. O prazo termina esta sexta-feira.

Os contribuintes cujo agregado familiar tenha mudado ao longo de 2018 têm até esta sexta-feira para comunicar à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) essas alterações. E este ano, pela primeira vez, essa atualização pode mesmo ser feita através de uma aplicação móvel para smartphones.

Quem tem de fazer esta atualização? Os contribuintes cuja composição do seu agregado familiar se tenha alterado no último ano, aqueles que tenham mudado de morada e ainda aqueles que tenham a seu cargo uma situação de guarda conjunta.

Nesse último caso, é necessário indicar ao Fisco o elemento do agregado que exerce as responsabilidades parentais, o NIF do outro sujeito passivo que exerce em conjunto essas responsabilidades, a percentagem na partilha das despesas (caso não sejam divididas a metade) e a existência de residência alternada. É também necessário apontar se o dependente integra ou não o agregado familiar do contribuinte.

Esta atualização pode ser feita através do Portal das Finanças (na área dedicada aos Dados Pessoais Relevantes) ou através da nova aplicação móvel “Agregado Familiar”, que acaba de ser lançada. Esta nova ferramenta está disponível para iPhone e para smartphones com sistema operativo Android.

Se a AT não receber qualquer comunicação por parte do contribuinte, utilizam-se os dados declarados em 2017 para efeitos de IRS automático e para o pré-preenchimento das declarações entregues em termos gerais.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Marque na sua agenda: Tem até hoje para comunicar ao Fisco mudanças no agregado familiar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião