Esta Vespa não vai fazer barulho. Chegou a versão elétrica

  • ECO
  • 21 Fevereiro 2019

A versão, que agora chega ao mercado nacional, com uma bateria que tem uma potência máxima de 4 kW, tem um custo de 6.790 euros.

A Vespa vai deixar de fazer barulho. A icónica scooter do Grupo Piaggio substituiu o tradicional motor a combustão por uma bateria que promete o mesmo desempenho das versões a gasolina em “silêncio absoluto e com total ausência de vibrações”. Chama-se Elettrica e chega agora ao mercado nacional.

“Com uma potência máxima de 4 kW e um desempenho dinâmico típico de motores elétricos, a performance da Vespa Elettrica supera a das tradicionais scooters de 50 cc, particularmente no que diz respeito à aceleração e ao início de subidas”, refere a empresa em comunicado.

“A moderna bateria de lítio com sistema de recuperação de energia (que recarrega durante a desaceleração) garante uma autonomia de até 100 km (quer em estrada como em ambiente urbano). A recarga do veículo, completa em quatro horas, é feita através do cabo (localizado no compartimento por baixo do selim), numa tomada elétrica tradicional ou num posto de recarga público”, salienta.

A bateria da Vespa Elettrica, “garante uma eficiência de excelência de até 1.000 ciclos de carga completos, ou seja, entre 50.000 a 70.000 km (equivalente a, aproximadamente, dez anos de utilização do veículo em ambiente urbano)”, diz a marca, salientando que mesmo após os 1.000 ciclos de carregamento, a bateria mantém 80% da sua capacidade.

Esta versão, que agora chega ao mercado nacional, com uma bateria que tem uma potência máxima de 4 kW, tem um custo de 6.790 euros. “Em abril, a versão equivalente a um motociclo de 125 cc vai estar também disponível na rede de concessionários Vespa Elettrica, por um preço de venda ao público recomendado de 6.990 euros”, diz a marca.

Comentários ({{ total }})

Esta Vespa não vai fazer barulho. Chegou a versão elétrica

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião