Fim da isenção nos recibos verdes apanha oito mil pessoas

  • ECO
  • 1 Março 2019

Em causa estão as novas regras que entraram em vigor este ano e que acabam parcialmente com as isenções para os trabalhadores por conta de outrem que também prestam serviços como independentes.

Mais de oito mil trabalhadores por conta de outrem que também passam recibos verdes perderam a isenção para a Segurança Social, de acordo com um balanço do Governo que será discutido esta tarde na concertação social. A informação é avançada, esta sexta-feira, pelo Jornal de Negócios (acesso pago), que dá conta de que há ainda outros 3,4 mil trabalhadores que optaram por contribuir, apesar de não serem obrigados.

Em causa estão as novas regras que entraram em vigor no início deste ano e que acabam parcialmente com as isenções para os trabalhadores por conta de outrem que, em simultâneo, prestam serviços como independentes. Para que a isenção se perca, é necessário que o rendimento por trabalho independente seja superior a 7.470 euros no trimestre.

A taxa da contribuição para a Segurança Social só se aplica sobre o valor que excede esse montante de 7.470 euros e a esmagadora maioria (96%) dos oito mil independentes que perderam a isenção optaram por contribuir sobre o remanescente. Houve, ainda assim, 312 trabalhadores que optaram pela contribuição total.

Os dados que o Governo irá apresentar esta tarde mostram ainda que há outras 3,4 mil pessoas que acumulam trabalho dependente com trabalho independente e que “optaram por contribuir” para a Segurança Social, apesar de poderem manter a isenção. Este número pode traduzir a intenção de fazer descontos acima do necessário ou refletir erros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fim da isenção nos recibos verdes apanha oito mil pessoas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião