Lucros da Fidelidade crescem 28%. Atingiram 280 milhões de euros

Seguradora portuguesa lucrou mais, contrariando as restantes empresas do setor detidas pela Fosun. A banca ajudou o grupo chinês a apresentar resultados líquidos recorde.

A Fidelidade fechou o ano passado com lucros de 280 milhões de euros, um aumento de quase 28% face ao resultado alcançado no ano anterior, mostram dados divulgados no site da seguradora da Fosun. O resultado da seguradora portuguesa contrariou a tendência do setor a nível global, mas o negócio da banca ajudou o grupo chinês a fechar 2018 com resultados líquidos recorde.

Os números mostram que a antiga seguradora da Caixa Geral de Depósitos atingiu um resultado líquido de 280 milhões de euros, valor que compara com os 219,5 milhões de euros registados em 2017.

O aumento dos lucros da Fidelidade foi apoiado num crescimento de cerca de 6% nos prémios brutos que ascenderam a 1.921 milhões de euros. Em 2017, estes tinham totalizado 1.813 milhões de euros.

Relativamente aos ativos da seguradora registou-se um crescimento de menor dimensão. O total de ativos da seguradora ascendiam no final de 2018 a 17.841 milhões de euros. Ou seja, 3% acima dos 17.286 milhões de euros no período homólogo. Já os ativos líquidos aumentaram 0,5%, dos 2.717 milhões de euros, para 2.731 milhões.

O resultado líquido da Fidelidade, da qual a Fosun detém 84,9884%, corresponde a 95% dos lucros totais do negócio segurador da Fosun em Portugal, tendo em conta os resultados do grupo chinês divulgados nesta terça-feira. A Fosun Insurance Portugal lucrou 293,8 milhões de euros em 2018 — tem 80% da Multicare e Fidelidade Assistência.

Este resultado foi, segundo a Fosun, “sobretudo em benefício do negócio vida (cresceu 6,2 pontos percentuais, para 39,1%), refletindo a performance comercial da CGD num ambiente de taxas de juro extremamente baixas e produtos bancários alternativos limitados, difícil de repetir no futuro”.

Fosun ganha mais. Banca puxou pelos lucros

A nível global, o negócio segurador da Fosun não acompanhou a evolução positiva registada em Portugal. O resultado líquido atribuível por esta área de negócio ascendeu a 314 milhões de euros, uma quebra de quase 15% face aos 368 milhões registados em 2017.

Também os investimentos deram um contributo negativo para as contas, com lucros atribuíveis por este segmento ao grupo chinês equivalentes a cerca de 755,5 milhões de euros, abaixo dos 772 milhões de 2017 (-2%).

Mas a banca ajudou a compensar essa quebra de resultados. A banca, como um todo, contribuiu com um resultado líquido equivalente a 164 milhões de euros em 2018, 13% acima dos 145 milhões registados e 2017. Recorde-se que o BCP fechou o ano passado com lucros de 300 milhões de euros. A Fosun detém 27,25% do banco.

Face a este cenário, a Fosun acabou por terminar o ano passado com uma subida dos seus lucros na ordem dos 2%. Estes totalizaram o equivalente a 1.768 milhões de euros em 2018, o que compara com 1.736 milhões em 2017. É um valor recorde.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lucros da Fidelidade crescem 28%. Atingiram 280 milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião