Três anos depois, Renault volta a fazer mira à Fiat Chrysler. Poderá avançar com proposta de aquisição

A fabricante francesa não só pretende retomar negociações com a Nissan para uma fusão nos próximos 12 meses, como também está a ponderar avançar para a aquisição da Fiat Chrysler.

A Renault está, novamente, de olhos postos na Fiat Chrysler. Depois de, há cerca de três anos, o então presidente do grupo Renault, Carlos Ghosn, ter tido algumas conversas preliminares com a empresa com sede em Londres com vista num potencial negócio — que acabou por nunca se concretizar devido à oposição do Governo francês –, a Renault pode, agora, avançar com uma proposta de aquisição da Fiat Chrysler.

De acordo com uma fonte conhecedora dos planos do grupo francês, citada pelo Financial Times (acesso pago, conteúdo em inglês), a Renault não só pretende retomar negociações com a Nissan para uma fusão nos próximos 12 meses, como também está a ponderar avançar para uma aquisição, fazendo mira à Fiat Chrysler.

Contudo, quando contactos pelo Financial Times, nem os responsáveis da Renault nem os da Nissan quiseram prestar qualquer comentário sobre a possível aquisição.

A mesma fonte, ainda que não adiante mais pormenores, confirmou também que a Fiat Chrysler está à procura de uma parceria ou de uma fusão para crescer. Aliás, a empresa já terá tido até algumas reuniões com potenciais aliados, incluindo com o grupo francês PSA, liderado por Carlos Tavares.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Três anos depois, Renault volta a fazer mira à Fiat Chrysler. Poderá avançar com proposta de aquisição

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião