Crédito para a casa volta a travar em fevereiro. Cai para mínimos de um ano

Os bancos disponibilizaram 734 milhões de euros em empréstimos para a compra de casa, em fevereiro. Trata-se do valor mensal mais baixo desde o mesmo mês do ano passado.

Pelo segundo mês consecutivo, a nova concessão de empréstimos para a compra de casa voltou a cair. Em fevereiro, os bancos disponibilizaram 734 milhões de euros em crédito à habitação. Trata-se do valor mensal mais baixo desde o mesmo mês do ano passado. Mas ainda assim foram disponibilizados perto de 1.500 milhões de euros em crédito à habitação nos dois primeiros meses do ano.

Estatísticas divulgadas pelo Banco de Portugal nesta terça-feira mostram que os bancos concederam 734 milhões de euros em empréstimos para a compra de casa, um valor que corresponde a uma diminuição de 13 milhões de euros face aos 747 milhões que tinham sido concedidos em janeiro.

Trata-se assim do segundo mês consecutivo em que a disponibilização deste tipo de empréstimos recua, após um último trimestre de 2018 marcado por consecutivos aumentos da concessão.

Novo crédito para a casa cai em fevereiro

Fonte: Banco de Portugal

Ainda assim em termos homólogos, voltou a assinalar-se uma subida. O montante disponibilizado em fevereiro deste ano representa um aumento de 58 milhões de euros face ao mesmo mês do ano passado, e é o mais elevado desde o período comparável de 2010.

Contudo, constata-se uma desaceleração dos níveis de concessão face ao verificado nos anos anteriores. De fevereiro do ano passado para o mesmo mês deste ano, o crescimento é de 8,6%. Valor que compara com crescimentos de 27,5%, entre os mesmos meses de 2017 e 2018, e de 52,7%, entre fevereiro de 2016 e fevereiro de 2017.

Consumo e outros fins contraria. Concessão cresce em fevereiro

No que respeita às restantes categorias de crédito às famílias observou-se pelo contrário um aumento mensal da concessão entre janeiro e fevereiro deste ano.

Os bancos concederam 365 milhões de euros em crédito ao consumo em fevereiro, mais 27 milhões de euros do que em janeiro. Em termos homólogos, a tendência também é de crescimento. Foram mais sete milhões de euros do que em fevereiro do ano passado, com o montante a elevar-se para máximos de 2004, em termos homólogos.

Já no que respeita aos empréstimos com outros fins, o aumento foi de 30 milhões entre janeiro e fevereiro, com o valor a fixar-se nos 163 milhões de euros. Trata-se ainda o valor mais elevado, em termos homólogos, desde 2014.

Empresas com menos crédito

Entre janeiro e fevereiro, as empresas também registaram uma quebra nos níveis de concessão de empréstimos. Os bancos disponibilizaram-lhes 2.259 milhões de euros em crédito, menos 225 milhões que no primeiro mês do ano.

Numa comparação homóloga, a tendência foi, contudo, de crescimento, com mais 324 milhões de euros disponibilizados a esse segmento. Trata-se do valor mais alto desde o mesmo mês de 2016.

De forma agregada, no segundo mês deste ano, os bancos emprestaram 3.521 milhões de euros às famílias e às empresas, elevando para 7.223 milhões de euros a concessão acumulada desde o início deste ano.

(Notícia atualizada às 11h46 com mais informação)

Comentários ({{ total }})

Crédito para a casa volta a travar em fevereiro. Cai para mínimos de um ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião